Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Regresso às aulas na EPM marcado pelos novos uniformes
Segunda, 05/09/2016

As portas da Escola Portuguesa de Macau (EPM) voltaram a abrir, esta segunda-feira, com um número de alunos matriculados idêntico ao registado no ano passado. Por isso, a principal novidade foi mesmo a mudança dos uniformes.

 

Ao azul dominante juntam-se mais pormenores em amarelo. As novas peças, com assinatura da designer local Bárbara Oliveira Dias, lembram assim uma das imagens de marca da escola: os azulejos que preenchem parte do edifício.

 

Para trás fica um uniforme introduzido desde a abertura da instituição. “Portanto, 17 anos. Os contratos que fizemos foram por cinco anos, mas estamos a pensar que [as novas peças] continuem, pelo menos, 15 anos”, explica a vice-presidente da direcção da EPM, Zélia Mieiro.

 

A responsável admite que “as coisas vão evoluindo” e “pode haver necessidade” de fazer mudanças antes do tempo. No entanto, garante que isso só vai acontecer em último caso.

 

Esta manhã, decorreu a habitual recepção aos alunos. Para quem frequenta os 1.º, 5.º, 7.º e 10.º anos foi dia de estrear roupa.

 

Os restantes mantêm o uniforme anterior. Mas a situação vai ser regularizada nos próximos três anos.

 

“Entre a educação física, o pólo, a saia e a calça para os rapazes, [custa] à volta de 650 patacas”, indica Zélia Mieiro, antes de acrescentar que os sapatos e as meias também estão incluídos. A excepção são as sapatilhas.

 

“Isso depende do que cada pai quer gastar”, nota.

 

O valor de 650 patacas pode “aumentar um pouco de acordo com os tamanhos”, ressalva Zélia Mieiro. Para evitar desperdícios, a EPM continua a apoiar o programa de reciclagem dos uniformes promovido pela associação de pais e encarregados de educação, que tem actividades durante todo o ano.

 

“Normalmente, para aí três vezes por ano, em momentos como a entrega das avaliações, matrículas ou no início do ano lectivo [...] Os pais que querem podem lá ir buscar. Tem tido muito resultado porque vão buscar muitas peças para substituir as antigas ou as que deixam de servir. Penso que devemos continuar a apostar nesta actividade porque é benéfica para todos”, sublinha a vice-presidente da direcção da EPM.

 

As aulas arrancaram com 551 alunos matriculados, ou seja, mais seis do que na mesma altura do ano passado. Zélia Mieiro salienta que ainda “vão aparecer muito mais”.