Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Turismo de Portugal quer estreitar laços com a China
Sexta, 02/09/2016

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) participa na quarta edição da Exposição Internacional de Turismo que hoje arrancou no Venetian. Segundo o presidente da associação o objectivo é estreitar laços com a China.

 

“A nossa delegação é uma delegação ecléctica que traz vendedores de Portugal e compradores da China, tendo em consciência que o turismo é uma estrada de duas direcções e que melhor desenvolveremos a vinda de turistas chineses para Portugal quanto melhor conseguirmos desenvolver a ida de turistas portugueses para a China”, afirmou Pedro Costa Ferreira.

 

Para o presidente da APAVT, o mercado chinês tem um potencial grande e há um longo caminho até que o número de turistas chineses tenha um peso significativo em Portugal.

 

“Há muito a trabalhar, a desenvolver e há muito a aproveitar. Evidentemente que há alguns passos relativamente aos quais temos de esperar. O mais importante, provavelmente, é a existência de uma ligação directa entre os dois países. A acontecer, dinamizaria muito o nosso fluxo, nos dois sentidos. Mas também temos a noção que o espaço chinês tem um tempo próprio e temos de saber jogar com esse tempo. Temos de ser nós portugueses que ser perseverantes e também pacientes. Não tenho a menor das dúvidas que se é relevante do ponto de vista estratégico, mais tarde ou mais cedo, será importante em termos dos números”, acrescentou.

 

Pedro Costa Ferreira falava à margem da abertura da Exposição Internacional de Turismo que decorre até domingo.

 

O evento conta com 370 expositores e cerca de 200 empresas e entidades de turismo de 28 países e regiões. Da China estão representadas autoridades de turismo de 70 cidades.   

 

A sessão de abertura foi presidida por Alexis Tam. O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura afirmou que o “turismo é uma das indústrias pilares de Macau” e que o Governo “valoriza plenamente o papel nuclear e impulsionador que a mesma desempenha, enquanto locomotiva de desenvolvimento de sectores extensivos relacionados”.

 

O secretário destacou ainda a realização, pela primeira vez, de um Seminário e Bolsa de Contactos do Turismo China – Portugal para os operadores turísticos da China e dos Países de Língua Portuguesa. 

APAVT quer estreitar laços com a China

 

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo participa na quarta edição da Exposição Internacional de Turismo que hoje arrancou no Venetian. Segundo o presidente da associação o objectivo é estreitar laços com a China.

“A nossa delegação é uma delegação ecléctica que traz vendedores de Portugal e compradores da China, tendo em consciência que o turismo é uma estrada de duas direcções e que melhor desenvolveremos a vinda de turistas chineses para Portugal quanto melhor conseguirmos desenvolver a ida de turistas portugueses para a China”, afirmou Pedro Costa Ferreira.

Segundo o presidente há a noção que o mercado chinês tem um potencial grande e há um longo caminho até que o número de turistas chineses tenha um peso significativo em Portugal.

“Há muito a trabalhar, a desenvolver e há muito a aproveitar. Evidentemente que há alguns passos relativamente aos quais temos de esperar. O mais importante, provavelmente, é a existência de uma ligação directa entre os dois países. A acontecer, dinamizaria muito o nosso fluxo, nos dois sentidos. Mas também temos a noção que o espaço chinês tem um tempo próprio e temos de saber jogar com esse tempo. Temos de ser nós portugueses que ser perseverantes e também pacientes. Não tenho a menor das dúvidas que se é relevante do ponto de vista estratégico, mais tarde ou mais cedo, será importante em termos dos números”, acrescentou.

Pedro Costa Ferreira falava à margem da abertura da Exposição Internacional de Turismo que decorre até domingo.

O evento conta com 370 expositores e cerca de 200 empresas e entidades de turismo de 28 países e regiões. Da China estão representadas autoridades de turismo de 70 cidades.   

A sessão de abertura foi presidida por Alexis Tam. O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura afirmou que o “turismo é uma das indústrias pilares de Macau” e que o Governo “valoriza plenamente o papel nuclear e impulsionador que a mesma desempenha, enquanto locomotiva de desenvolvimento de sectores extensivos relacionados”.

O secretário destacou ainda a realização, pela primeira vez, de um Seminário e Bolsa de Contactos do Turismo China – Portugal para os operadores turísticos da China e dos Países de Língua Portuguesa.