Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Centro de distribuição de produtos faz falta, diz João Tique
Sábado, 03/12/2011
A criação do centro de distribuição de produtos portugueses é fundamental para trazer para a China produtos da gama média-alta, defendeu, no Rádio Macau Entrevista, João Tique. O líder da empresa de distribuição de vinhos Top Wines Macau considera que, “enquanto não se avançar para esse projecto de forma consistente, não vamos, consistentemente, entrar com produtos de gama média-alta na China”.

Por isso, acrescentou João Tique, “lamento que esse projecto esteja parado, lamento que haja falta de liderança e que haja alguma confusão”.

O empresário diz ter tentado, a título individual, “algum diálogo” com entidades em Portugal, mas o projecto continua “parado, ao sabor da política nacional”.

Recorde-se que o centro de distribuição de produtos portugueses foi anunciado durante a visita do então primeiro-ministro português a Macau, José Socrates, em Janeiro de 2007. No entanto, passados quatros anos, o projecto não arrancou.

Também convidado do Rádio Macau Entrevista, o enólogo Paulo Laureano reconheceu que Portugal deve apostar na promoção da gastronomia associada ao ‘marketing’ do vinho.

Já o outro convidado desta semana do jornalista Gilberto Lopes, Joaquim Guimarães, director comercial do Monte da Ravasqueira, lamenta que Vasco Avilez tenha deixado a liderança da Vini Portugal, a organização que promove os vinhos portugueses no Mundo.