Em destaque

26 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.0301 patacas e 1.1139 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 19/07/2016

O caso de fraude, que envolve cerca de 56 milhões de patacas e tem já 53 vítimas, é um dos temas em destaque na imprensa local. A posição irredutível de Pequim no Mar do Sul da China continua a ter honras de primeira página nos jornais publicados em Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun olha para as várias obras que estão a ser feitas na Taipa e que bloqueiam, literalmente, o trânsito. Cresce a contestação e o jornal foi ouvir o que os moradores dizem sobre isto.

 

O Va Kio tem como tema principal a entrega das chaves aos compradores de casas no edifício de habitação pública Cheng I. Entre os beneficiários há quem tenha esperado 20 anos pelas habitações.

 

Ou Mun Tin Toi

 

Na emissão desta manhã da Ou Mun Tin Toi, a notícia do dia em destaque é um acidente, junto à Torre do GP, que envolveu dois veículos. A colisão parou o trânsito, por volta das 10h, e fez dois feridos.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau adianta que Chan Meng Kam “desmente dupla candidatura” à Assembleia Legislativa. A notícia, avançada pelo semanário católico O Clarim, é “falsa e totalmente feita de rumores”. Em causa estava a hipótese de o deputado passar a ser nomeado pelo Chefe do Executivo e, da lista que encabeçou nas últimas eleições, nascerem duas candidaturas lideradas por Si Ka Lon e Ung Choi Kun. Os passeios de barco da Macau Sailing também estão em destaque na edição desta terça-feira.

 

O Jornal Tribunal de Macau tem como manchete “atrasos nos aterros motiva plano B para ponte do Delta”. A actual situação, obriga à construção de uma ligação temporária entre a ilha artificial do posto fronteiriço e a península. “Português como porta para o mundo” lê-se ainda na primeira página, numa alusão ao 30º curso de verão da Universidade de Macau.

 

O Ponto Final publica uma entrevista a José Luís Peixoto, que apresentou o mais recente livro, “Em Teu Ventre”, ontem, na Livraria Portuguesa. “Um custoso equívoco” serve para ilustrar o arranque do julgamento da líder da Associação para a Reunião Familiar, Lei Iok Lan, que nega a acusação de desobediência qualificada.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily destaca um caso de fraude, organizado por uma empresa local, que tem já 53 vítimas declaradas e envolve 56,5 milhões de patacas. O jornal publica também um dossiê sobre as dificuldades das empresas de Macau nos negócios com os países da lusofonia: não conseguem obter seguros para as exportações.

 

O Macau Daily Times também aborda o esquema de fraude do grupo Glory Sky International Holdings. No destaque fotográfico estão as conhecidas embalagens de “ta pao”, feitas a partir de um material chamado poliestireno que já foi banido em algumas cidades, como São Francisco. Um académico da Universidade de São José defende a mesma medida em Macau.

 

O Macau Post Daily escreve que “polícia investiga esquema de investimento de 56 milhões de patacas”. A nova primeira-ministra britânica, Theresa May, é também presença no jornal por ter escolhido morar nun  apartamento e não no mítico número 10 de Downing Street.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily destaca a garantia do chefe das forças navais chinesas: “Pequim nunca vai parar o trabalho nas ilhas” disputadas do Mar do Sul da China. Wu Shengli disse isso mesmo a almirante norte-americano John Richardson, durante um encontro. O comandante chinês assegura ainda que está tudo pronto para a necessidade de responder a “qualquer provocação”. No destaque fotográfico do jornal estão os estudantes de Hong Kong que aderiram ao campo militar de verão do Exército de Libertação do Povo Chinês. “Jovens e com vontade” é o título que ilustra esta actividade.

 

O South China Morning Post escreve “Marinha do Exército de Libertação pronta para conter qualquer agressão”. O diário nota ainda que “mais candidatos desafiam as regras da soberania para as eleições”. Em causa está um documento que reconhece a soberania da China em Hong Kong e que deve ser assinado por quem concorre ao Conselho Legislativo.

 

O Standard puxa Macau para a primeira página. No jornal lê-se sobre o corte nos preços dos hotéis do território. Os descontos podem chegar até 35 por cento.