Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Lei de Terras:Chui Sai On é responsável, diz Manuela António
Sábado, 16/07/2016

A advogada Manuela António considera que houve alertas para o secretário para os Transportes e Obras Públicas, para os Serviços de Obras Públicas e para o Chefe do Executivo desde o momento em que a Lei de Terras entrou em vigor, em 2014, a chamar a atenção para os eventuais problemas. Todos sabiam da “gravidade da situação”, acusou a advogada no programa Rádio Macau Entrevista.

 

“O Chefe do Executivo sabe que há terrenos que não foram aproveitados por responsabilidade exclusiva da administração. O secretário [para os Transportes e Obras Públicas] sabia que as consequências desta lei eram gravíssimas e as Obras Públicas também sabiam. Nunca nos passou pela cabeça que o Governo não tomasse a seu tempo medidas”, afirma.

 

Manuela António diz que o grande responsável por esta situação, que considera ser grave, é Fernando Chui Sai On. “O Chefe do Executivo tem a obrigação de assumir as responsabilidades, de resolver os problemas que ele criou. Acho que se refugia e não toma as decisões que devia tomar. Não quer saber. Não está a exercer as funções executivas como devia”, defende Manuela António.

 

Para a advogada, o actual titular da pasta das Obras Públicas, Raimundo do Rosário, não tem qualquer culpa, pois limita-se a mandar aplicar a lei.

 

A actuação das Obras Públicas é, para Manuela António, “desastrosa” e “o tempo para a Obras Públicas é milenar”. “Responder hoje ou daqui a cinco anos é indiferente. São da maior incompetência que eu conheço, com salva raras excepções”, acrescenta.

 

O programa Rádio Macau Entrevista é emitido ao meio-dia.