Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 15/07/2016

A questão da alteração à lei de terras ainda percorre as primeiras páginas, mas a notícia do dia pertence ao semanário católico que revela que o vencedor das últimas eleições gerais prepara duas listas para reforçar o número de deputados nas legislativas do ano que vem.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Va Kio puxa para manchete as reacções do presidente da Assembleia Legislativa ao relatório do Comissariado contra a Corrupção acerca da permuta dos terrenos entre Governo e os proprietários da fábrica de panchões da Taipa. Os responsáveis devem ser punidos, diz Ho Iat Seng.

 

O Ou Mun  também apresenta o presidente da Assembleia Legislativa na capa mas em referência à proposta de Gabriel Tong para intepretar a lei de terras. Proposta rejeitada, diz o jornal.

 

Canal chinês da Rádio Macau

A Ou Mun Tin Toi, esta manhã, tem vindo a dar relevância à posição da presidência da Assembleia Legislativa sobre a proposta de Gabriel Tong para intepretar a lei de terras e também a reacção de Ho Iat Seng ao relatório do CCAC.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau faz do debate sobre o regulamento de táxis na Assembleia Legislativa. “O justo e o pecador” é a manchete. Punição conjunta preocupa deputados, afirma o diário. O jornal também salienta as eleições em São Tomé e Príncipe. “Em busca do sonho”.

 

O Ponto Final fala em “interpretações dissonantes” por causa da proposta de Gabriel Tong para intepretar a lei de terras e a recusa da Assembleia Legislativa em acatar essa ideia.  O jornal publica hoje o suplemento literário “Parágrafo”.

 

O Jornal Tribuna de Macau sublinha a opinião de dois académicos gregos sobre Macau. “Deve afirmar-se como destino cultural”, sublinha a manchete. O diário realça ainda que o custo do alojamento caiu 26 por cento.

 

O semanário O Clarim diz que o deputado Cham Meng Lam prepara-se para apresentar duas listas nas legislativas do ano que vem. Na primeira do jornal surge a fotografia do docente da Universidade Católica portuguesa a propósito de uma conferência, ontem, na Casa Garden. “História asiática relativiza presença estrangeira”.

 

O semanário Plataforma ocupa-se da questão da lei de terras. “A jogada que tira o chão aos promotores” é a gorda do semanário em relação à proposta do deputado Tong.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

“Proposta para interpretar lei de terras foi rejeitada”, diz a manchete do Macau Daily Times. A dominar a primeira página, a fotografia de um detido na Indonésia. “Aumentam os recrutamentos do ISIS no sudoeste asiático apesar dos ataques terem diminuído”, diz o título.

 

No Macau Post Independent pontua fotografia de responsáveis da consultora Jones Lang La Salle. “JLL diz que o valor do imobiliário já bateu no fundo” é o grande destaque.

 

No Business Daily“Aquece o debate sobre os táxis” é a manchete, em referência ao debate, ontem, na Assembleia Legislativa sobre a revisão do regulamento dos táxis. O jornal fala ainda da queda abrupta do preço dos quartos de hotel. Caíram em 29,27 por cento.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post destaca, na primeira página, a alteração às regras eleitorais para “garantir patriotismo”, nota o jornal.  Em grande plano, fotografia da chegada de Li Keqiang a Ulan Bator para a cimeira Ásia-Europa. “Pequim enfrenta desafio na cimeira” a propósito da intenção das Filipinas levantar a questão dos mares do sul da China neste encontro.

 

O China Daily propõe na primeira página a disputa dos mares do sul da China. “Soberania da China é o última reduto” diz o título maior que reproduz declarações de um diplomata chinês. No centro da página também está Li Keqian com fotografia da chegada à Mongólia e, em baixo, o título, “Vietname concorda que conversações são a chave para a disputa”.

 

A edição de fim de semana do Standard tem publicidade na primeira página. Na página dois surge uma entrevista a Xavier de Eizaguirre, director da VineExpo, a exposição que este ano aconteceu em Hong Kong.