Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (quinta-feira)
Quinta, 14/07/2016

Mais ou menos contundentes, as primeiras páginas da imprensa portuguesa referem-se ao relatório do Comissariado Contra a Corrupção que considera ilegal e, por isso, nulo o negócio de permuta de terrenos entre o Governo e a sociedade proprietária da Fábrica de Panchões Iec Long, na Taipa.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O relatório do Comissariado Contra a Corrupção acerca da permuta de terrenos entre Governo e proprietário da fábrica de panchões na Taipa faz a manchete na imprensa chinesa. Tanto o Ou Mun como o jornal Va Kio puxam para as manchetes o teor do documento que fala de ilegalidade e, em consequência, da nulidade do negócio.

 

Canal chinês da Rádio Macau

O Ou Min Tin Toi tem estado ao longo desta manhã a referir-se ao relatório do CCAC sobre os negócios de terras entre Governo e a sociedade da fábrica de panchões na Taipa e ainda, outro tema, à entrada em cena de uma nova líder do governo em Londres. Theresa May substitui David Cameron.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

No Hoje Macau a manchete é “Panchão fatal”, a propósito do relatório do Comissariado Contra a Corrupção que arrasa a troca de terrenos entre o Governo e os proprietários da Fábrica de Panchões Iec Long. O jornal destaca ainda uma exposição na Creative Macau.

No Ponto Final surge o mesmo assunto com título diferente – “Fogo Preso”. O jornal destaca ainda a presença do escritor José Luis Peixoto na próxima segunda feira, na Livraria Portuguesa.

O Jornal Tribuna de Macau também puxa para a primeira o relatório do CCAC – “Permuta à margem da lei” – mas a manchete é dedicada às reivindicações dos Operários – “Pretendem mais férias pagas”. Também ainda um projecto dos Arquitectos Sem Fronteiras – “Unidos pela mobilidade” é o título.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

“CCAC critica governo por permuta de terrenos irregular”, diz em manchete o Macau Daily Times. O destaque vai para a mudança de primeiro-ministro em Londres. Fotografia de Theresa May à porta de Downing Street e o jornal fala em “Teatro na política britânica”.

No Macau Post Independent “Permuta de terrenos na Fábrica de Panchões é inválida – Organismo anti-corrupção fala em violação ao princípio da legalidade”, é a manchete.

No Business Daily também é o relatório do CCAC sobre a permuta na fábrica de panchões da Taipa que faz a manchete – “Permuta é nula”. Noutro título, o jornal refere os 300 milhões de patacas para a remodelação do Museu do Grande Prémio.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post surge na primeira página com uma fotografia de David Cameron á porta da sede do governo britânico. “Cameron sai enquanto May se prepara para baptismo de fogo”, escreve o Post. A manchete é reservada à disputa sobre os mares do sul. “Pequim pede recomeço das negociações”.

Assunto semelhante ocupa a primeira do China Daily – “Mares do sul da China, Zona de defesa aérea é uma opção”, e na página ao lado direito pontifica o apelo do primeiro-ministro chinês. “Li pede transparência para captar investimento europeu”.

Quanto ao The Standard, a primeira é feita de publicidade mas na página dois o jornal fala também em rodapé de “conflitos e confrontos” nos mares do sul da China.