Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 13/07/2016

A decisão do Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia contra as pretensões de Pequim no Mar do Sul da China é um dos grandes temas da imprensa local e de Hong Kong.

 

Jornais de Macau em Língua Chinesa

 

O Ou Mun olha para números de sequestros relacionados com o jogo, de Junho de 2015 até Maio deste ano. O jornal indica que os casos “duplicaram”.

 

No Va Kio lê-se que a proposta do estatuto das forças de segurança de Macau foi concluída. No próximo ano, deve ser aprovado um novo diploma.

 

Ou Mun Tin Toi

 

A Ou Mun Tin Toi tem como principal notícia do dia a decisão do Comissariado contra a Corrupção (CCAC) sobre o caso da permuta do terreno da Fábrica de Panchões Iec Long, entre o Governo e a Sociedade de Desenvolvimento Predial Baía da Nossa Senhora da Esperança, S.A., que data de 2001. O CCAC explica que “não está em conformidade” com o disposto na antiga Lei de Terras. Por isso, a empresa “não goza de qualquer direito sobre a maioria das parcelas do terreno”, sendo o acordo “nulo”.

 

Jornais de Macau em Língua Portuguesa

 

O Jornal Tribunal de Macau titula que “vistos ainda condicionam” Curso de Verão da Universidade de Macau. O Departamento de Português da instituição indica que a persistência de questões burocráticas impede a vinda de mais estudantes do Continente. “Chefe inspecciona novo Terminal” está também em destaque.

 

O Hoje Macau escreve “batalha verbal” para ilustrar o mais recente desenvolvimento nas disputas territoriais no Mar do Sul da China. O Tribunal de Haia decidiu, ontem, a favor das Filipinas na questão dos direitos sobre um conjunto de ilhas. O jornal adianta ainda que Macau tem “uma mão cheia de nada” através da iniciativa nacional “Uma faixa, uma rota”.

 

O Ponto Final faz manchete com “julgamento de Ng Lap Seng já tem data marcada”. O empresário começa a ser julgado a 23 de Janeiro de 2017. “Judiciária contesta falta de exactidão de Washington”, lê-se também na primeira página.

 

Jornais de Macau em Língua Inglesa

 

O Business Daily aborda os sinais de crescimento no mercado imobiliário, mas alerta que ainda há “muita pressão” por causa do caso Pearl Horizon. O jornal financeiro traz ainda um dossiê especial sobre as novas regras de acesso ao notariado privado.

 

O Macau Daily Times explica que “não há base histórica” para Pequim reclamar o controlo do Mar do Sul. Foi esta a decisão do tribunal de Haia. O jornal refere igualmente que os crimes ligados ao jogo continuam a subir, adiantou, ontem, o director da Polícia Judiciária.

 

O Macau Post Daily destaca que “Pequim diz que decisão sobre o Mar do Sul da China é nula e sem efeito”. Outro título da edição mostra que um estudo concluiu que “21 por cento dos participantes usa os serviços da Uber”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post dá conta do “enorme golpe para as reivindicações de Pequim”. Em causa a decisão do Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia. Depois de uma acção das Filipinas contra a China, decidiu que não existe uma base legal para Pequim reclamar direitos históricos no Mar do Sul da China.

 

O China Daily nota que a decisão é “nula”, “sem efeito” e “não vinculativa”. Já o presidente chinês, Xi Jinping, defende que as disputas territoriais devem alvo de “negociações. O jornal oficial chinês publica ainda um mapa com os “mais de 70” países que apoiam a posição de Pequim.

 

O Standard fala numa “China furiosa” que “rejeita o veredicto” do tribunal de Haia.