Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 05/07/2016

A aprovação da lei de protecção dos animais, as críticas dos deputados ao contrato de concessão de telecomunicações com a CTM e os seis concorrentes ao concurso de construção do parque de materiais de oficinas do Metro Ligeiro, são alguns dos destaques na imprensa de hoje. 

 

Jornais de Macau em Língua Chinesa

O Va Kio e o jornal Ou Mun dão honras de primeira à aprovação da lei de protecção dos animais, ontem, na Assembleia Legislativa.

O Ou Mun destaca que a lei vai entrar em vigor em Setembro e que, com as novas regras, os maus-tratos a animais vão estar sujeitos a pena de prisão até um ano.

O Va Kio acrescenta que o uso obrigatório de açaime para cães de grande porte foi um dos temas mais discutidos pelos deputados, que acabaram no entanto por aprovar o diploma. Alguns deputados pediram também ao Governo para incluir na lei normas que tornassem o obrigatório o uso de açaime para todos os cães em espaços comuns dos prédios.

 

Canal chinês da Rádio Macau

A Ou Mun Tin Toi tem noticiado esta manhã as seis propostas que foram admitidas no novo concurso de construção do parque de materiais de oficinas do metro ligeiro. O valor das propostas varia entre as 888 milhões e as 1,3 mil milhões de patacas. As obras devem começar no último trimestre deste ano e vão criar 550 postos de trabalhos.

 

 

Jornais de Macau em Língua Portuguesa

A primeira página do Hoje Macau é dedicada à aprovação da lei de protecção dos animais na Assembleia Legislativa. “Direitos de quem?” é a questão que o jornal coloca depois de uma debate em que deputados denunciaram muitos erros e contradições no diploma. O ataque dos deputados à CTM também está na primeira página: “Fogo cruzado” é o destaque. Vários deputados acusaram o Governo de ter assinado um contrato de tolos e de nada fazer para proteger o interesse público.

 

“Cães, gatos e gralhas” foi a manchete escolhida pelo Ponto Final sobre a aprovação da lei dos animais. O jornal conta também em primeira que o Governo decidiu avançar com a construção do edifício de doenças transmissíveis. “Obras à socapa” é o título escolhido pelo jornal.  

  

“Velhos (ainda) são os trapos” é reportagem do jornal Tribuna de Macau com trabalhadores com mais de 60 anos de idade. As finanças do lar são uma das principais razões que levam idosos a manter os empregos, nalguns casos já depois dos 70 anos. Em manchete “FAOM contra planos para as Casas-Museus”. A directora do departamento das ilhas da Federação das Associações dos Operários criticou os planos avançados por Alexis Tam para a zona das Casas-Museu.

 

Jornais de Macau em Língua Inglesa

“Alerta de Monopólio” é a manchete do jornal Business Daily. Em causa as críticas de vários deputados ao contrato de concessão do serviço de telecomunicações do Governo com a CTM. O jornal conta também em primeira página a iniciativa da Uber Macau que ontem entregou centenas de cartas de clientes ao Secretário Raimundo do Rosário a apelar a uma solução para a legalização do serviço.

 

O mesmo assunto está em destaque no Macau Post Daily: “Uber pede ao Governo para legalizar o serviço” é a manchete do jornal. Na imagem de primeira, a chegada dos representantes da Uber ao Gabinete do Secretário Raimundo do Rosário em riquexós.

 

No Macau Daily Times “Lei de Terras cada vez mais criticada” é a manchete. Também em primeira página o jornal conta que as autoridades de Hong Kong asseguram que o sistema de notificação com a China Continental se mantém operacional apesar do caso que envolveu os livreiros da Causeway Books.   

 

Jornais de Hong Kong em Língua Chinesa

No South China Morning Post e no Standard está em grande destaque a condenação de Ling Jihua. O braço direito do antigo presidente chinês Hu Jintao foi condenado a pena de prisão perpétua por corrupção.

 

A sentença foi proferida num julgamento à porta fechada na cidade de Tianjin, no passado dia 7 de Junho, mas só ontem foi reportada na imprensa oficial. Segundo a acusação das autoridades chinesas, Ling Jihua terá recebido mais de 77 milhões de Yuan em subornos, para além de ter obtido ilegalmente segredos de estado.

 

A pena de morte pode ser aplicada na China em casos de corrupção mas, segundo, o The Standard, que cita a Agência Xinhua, a pena de Ling Jihua foi reduzida a prisão perpétua pelo facto de ter confessado os crimes.

 

No China Daily o principal destaque vai para as cheias na China. Na imagem de primeira uma mulher a ser resgatada por bombeiros na localidade de Tongren, na Província de Guizhou. Os níveis das águas do rio Yangtze têm subido nos últimos dias e provocado cheias e derrocadas.