Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Obras na Igreja de Santo Agostinho vão durar 3 meses
Terça, 14/06/2016

O Instituto Cultural (IC) reitera que a chuva foi a principal causa para a queda do telhado da Igreja de Santo Agostinho, em finais do mês de Maio. As obras vão durar três meses, segundo adiantou Leong Wai Man, chefe do departamento do Património Cultural.

 

Apesar das inspecções feitas ao edifício descobriu-se um “buraco na parede suporte da viga”, revelou Leong Wai Man.

 

Terminadas as obras o organismo liderado por Guilherme Ung Vai Meng vai voltar a realizar uma inspecção à Igreja.

 

Quanto a custos, Leong Wai Man não adianta valores, mas frisa que, como o caso é urgente, o IC vai avançar e depois o assunto vai ser discutido com os proprietários.

 

A UNESCO ainda não avisada do que aconteceu no final do mês passado. O primeiro relatório será enviado para o Ministério da cultura da China, indicou também Leong Wai Man.

 

O incidente na Igreja de Santo Agostinho é visto como uma lição para as autoridades locais. “Vamos introduzir mais técnicas ou outras máquinas mais novas, ou vamos formar mais talentos para a protecção do património”, promete Leong Wai Man. O Instituto Cultural tem mais de 10 pessoas para realizar inspecções. Por ano, são feitas duas inspecções a cada edifício protegido.

 

Depois do acidente na Igreja de Santo Agostinho foram feitas várias vistorias a outros edifícios e cinco estão com problemas. “Já reunimos com os responsáveis desses cinco locais de património. Obtemos a colaboração desses responsáveis”, acrescentou a chefe do departamento do Património Cultural do IC.

 

Os cinco edifícios que estão em risco são Seminário de São José, a Igreja de Santo António, a Capela de Nossa Senhora da Penha, a Igreja de Santo Agostinho e o Armazém do Boi.