Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Steve Jacobs pode receber até 800 milhões da Las Vegas Sands
Quarta, 01/06/2016

A guerra acabou. O patrão das Las Vegas Sands, Sheldon Adelson, e Steve Jacobs, ex-presidente executivo da Sands China, chegaram a acordo e deram por terminada uma longa batalha judicial, que trouxe acusações de corrupção, espionagem e ligações às seitas em Macau.

 

O desfecho do maior fogo cruzado dos últimos tempos entre americanos em Macau fica em pacto secreto: os termos do acordo são confidenciais. Mas segundo o Wall Street Journal, a Las Vegas Sands vai pagar mais de 75 milhões de dólares – o equivalente a 600 milhões de patacas – ao ex-presidente executivo da Sands China. O jornal cita fontes próximas do processo que referem que a compensação para terminar o processo judicial pode chegar aos 100 milhões de dólares americanos -  o equivalente a 800 milhões de patacas. 

 

Jacobs processou a Las Vegas Sands em 2010 por despedimento sem justa causa e alegou retaliação. A tese trouxe relevações de espionagem, com o ex-presidente executivo da Sands China a afirmar que recebeu ordens de Adelson para recolher informações negativas sobre governantes de Macau. A ideia seria usar os dados para fazer chantagem caso houvesse uma decisão política contra os interesses da empresa.

 

Jacobs afirmou ainda que a empresa estava ligada às tríades e tentou pressionar Pequim. Em concreto, afirmou que Leonel Alves, deputado e antigo advogado da operadora, foi pago para exercer influência junto das autoridades.

 

As acusações foram negadas quer por Leonel Alves, quer por Adelson. O Chefe do Executivo, Chui Sai On, disse também compreender perfeitamente as explicações do deputado e membro do Conselho Executivo.

 

O acordo entre Adelson e Jacobs surge depois de em Abril a Las Vegas Sands ter pagado nove milhões de dólares americanos para pôr fim a uma investigação nos Estados Unidos por alegada violação às leis federais anti-suborno.