Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Moody's baixa rating de Macau
Quarta, 25/05/2016

A agência de notação financeira Moody’s baixou o rating de Macau de Aa2 para Aa3, com uma perspectiva negativa. A revisão em baixa já era esperada, desde que a agência colocou a nota de Macau em revisão para uma possível descida.

 

A decisão é justificada com o facto de o crescimento de Macau ter continuado “altamente volátil”, devido, sobretudo, às consecutivas quedas nas receitas do jogo. O que, juntamente com “uma resposta limitada” das políticas face à tendência menos positiva dessa indústria, deixou Macau com um perfil “mais fraco” do que outros Governos com um rating Aa2.

 

A agência norte-americana de notação financeira enumerou especificamente alguns factores para a revisão em baixa do rating, nomeadamente a incerteza em relação ao crescimento de Macau e à capacidade de resposta política, e também a descida nos excedentes fiscais e da conta corrente.

 

A Moody’s deixa, no entanto, a porta aberta a uma revisão. O rating de Macau poderá voltar a um nível superior se forem dadas provas de que a recuperação económica resistirá a médio prazo e também de que as defesas se manterão intactas perante eventuais problemas fiscais ou influências externas negativas.

 

Em reacção, a Autoridade Monetária de Macau (AMCM) reiterou que a situação financeira e económica da RAEM “se mantém, em princípio, estável, dispondo de condições para fazer face às evoluções económicas”. Em comunicado, a AMCM ressalva ainda que o território continua a “obter uma notação de crédito dentro do grupo de notação elevada de investimento”, sendo que a notação Aa3 da Moody’s – a quarta mais elevada - é atribuída também a países como a China ou a Bélgica.