Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

CESL Asia com quotas atrasadas no IPOR
Sábado, 21/05/2016

A CESL Asia, que pertence ao grupo de associados do Instituto Português do Oriente (IPOR), não regulariza o pagamento das quotas “há alguns anos”. A denúncia parte do director João Neves, em declarações ao Rádio Macau Entrevista, emitido este sábado, ao meio dia.

 

“Temos uma situação com a CESL Asia. Os associados entenderam que deveria ser mantido o estatuto de associado do IPOR. Porém, também acertaram que seria dado um prazo à sociedade para definir a sua relação com o IPOR, uma vez que há a ausência de assunção de compromissos, nomeadamente as quotizações associativas. A CESL Asia tem as contribuições associativas em atraso há alguns anos”, afirma João Neves.

 

A Rádio Macau contactou o presidente da CESL Asia, que não confirma nem desmente a existência da dívida. António Trindade diz apenas que a questão deve ser colocada aos outros accionistas, que “mandaram para trás” o último relatório de actividades do IPOR por “não corresponder à realidade”. No entanto, o responsável não explicou as razões por detrás desta decisão.

 

Actualmente, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua tem uma participação de 51 por cento sobre o IPOR. Já a Fundação Oriente detém 44 por cento. Os restantes cinco por cento estão distribuídos por: Banco Nacional Ultramarino, CESL Asia, EDP, Hovione e Sociedade de Turismo e Diversões de Macau.

 

Os associados são responsáveis por 19,5 por cento do orçamento do IPOR, que está fixado em 14 milhões de patacas, este ano.