Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 20/05/2016

Vários temas merecem o foco da imprensa que está esta sexta-feira nas bancas de Macau: um simulacro que juntou autoridades da China e de Macau, a classificação da chapas sínicas, e a visita de Zhang Dejiang a Hong Kong estão entre as matérias chamadas às primeiras páginas.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dedica grande destaque a um simulacro de salvamento de uma embarcação no mar – o exercício foi levado a cabo em Zhuhai e contou com a colaboração das autoridades de Macau, nomeadamente os Serviços de Alfândega e os Serviços de Assuntos Marítimos e de Água.

 

No Va Kio, a notícia que domina a primeira página informa que a Direcção dos Serviços de Economia vai estudar formas de atenuar as diferenças de preços entre os vendedores de carne de porco.

 

Canal em chinês da Rádio Macau

 

Na Ou Mun Tin Toi, esta manhã dá-se conta de um acidente envolvendo um carro e uma mota – o motocilista ficou ferido e chegou a perder a consciência. Tudo aconteceu na Taipa, na Estrada da Ponta da Cabrita.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau dá a primeira página às chapas sínicas que “passaram a estar classificadas pela UNESCO como integrantes no património documental da humanidade” – “Memórias do Mundo”, lê-se na manchete. Nesta primeira página surge ainda em destaque o título: “Uber – Deputados aplicados”.

 

No Jornal Tribuna de Macau, o título principal faz-se com a notícia de que “Politécnicos portugueses trazem ‘mão cheia’ de propostas ambientais”. De acordo com o diário, “o Conselho dos Institutos Superiores Politécnicos Portugueses apresentou ao Governo da RAEM um conjunto de projectos, sendo que algumas propostas, nas áreas do ambiente, eficiência energética ou empreendedorismo, têm ‘seguramente’ hipóteses de vingar e ‘serão bastante emblemáticas’, revelou o presidente do órgão ao Jornal Tribuna de Macau”.

 

Nesta primeira página é ainda dado grande destaque à loja “Côcos Hung Heng” – “Sobreviver há 150 anos no coração da cidade”.

 

“Abracemos os ‘leprosos’ do nosso tempo”, lê-se na manchete do jornal O Clarim. O semanário de inspiração católica destaca uma entrevista com Frei Armindo Carvalho, o novo superior dos franciscanos portugueses.

 

Outro título em foco nesta edição diz respeito a outra entrevista, desta feita com Sales Marques, presidente do Instituto de Estudos Europeus: “União Europeia passa pela mais grave crise de sempre”.

 

No semanário bilingue, português e chinês, Plataforma, há “História mal contada”: Investigação de Agnes Lam denuncia erros na cronologia da imprensa e das publicações ligadas à Igreja. A professora de comunicação pede revisão dos manuais de História e aponta Macau como ‘pioneiro’ da imprensa neste lado do mundo”.

 

O jornal destaca ainda o título “Temer no descrédito”, e chama a atenção para “analistas que não acreditam na recuperação económica” do Brasil.

 

“Cidadãos. Eleitores. Clientes”, lê-se na manchete do Ponto Final. O jornal informa que “um investigador do Departamento de Ciências Sociais do Instituto de Educação de Hong Kong analisou a influência das afinidades culturais no processo político em Macau e concluiu que as duas listas mais votadas nas últimas eleições legislativas pouco mais fizeram do que capitalizar as relações de clientelismo que mantêm a título permanente com o eleitorado que as elege”.

 

O outro grande destaque desta primeira página vai para os transportes: “Autocarros latinos – Uma parte considerável da frota de autocarros da Nova Era não cumpre as determinações do Governo no que toca à sinalização dos procedimentos de emergência. A lei obriga a que as indicações estejam escritas em português, mas nos veículos (...) tais indicações são dadas em... castelhano”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily diz no título principal que “as compras são uma actividade importante” – nas despesas dos visitantes efectuadas no primeiro trimestre, as compras representam 43,7 por cento do total.

 

Outro grande destaque desta edição é dado a uma “potencial mina de ouro”: “jogo ‘online’ na Ásia é entendido como um enorme mercado que ainda está por explorar. Mas melhores regulações são necessárias para que o sector funcione e dê lucros”.

 

“Possível acto de terrorismo em acidente da EgyptAir”, lê-se na manchete do Macau Daily Times, que também destaca na primeira página que o Instituto do Desporto “decide não desqualificar o vencedor da maratona de 2014”, o queniano Flomena Chepchirchir.

 

No Macau Post Daily Independent, lê-se na manchete que “Governo espera que a lei de protecção dos animais entre em vigor no dia 1 de Setembro”. A expectativa foi avançada pela deputada Kwan Tsui Hang, que preside à Comissão Permanente da Assembleia Legislativa que analisa o diploma na especialidade. Outro título destacado desta primeira: “terrorismo suspeito em acidente da EgyptAir”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily, o jornal oficial chinês, destaca na manchete a visita do presidente da Assembleia Popular Nacional a Hong Kong. No último dia no território, “Zhang Dejiang apelou a Hong Kong para se concentrar na economia”. A declaração foi feita num discurso perante cerca de 300 representantes de diversos sectores da sociedade da região.

 

Ao lado desta notícia encontramos outro grande destaque desta edição: “Voo da EgyptAir desapareceu com 66 pessoas a bordo”.

 

No South China Morning Post, a visita de Zhang Dejiang também surge em primeiro: “Políticas do caos vão prejudicar toda a gente, avisa Zhang”. É este o título principal do jornal, que resume assim a mensagem do dirigente chinês, que procurou desvalorizar a defesa da independência de Hong Kong.

 

Depois, o diário foca atenções na tensão entre a China e os Estados Unidos que vai aumentando no Mar do Sul da China: Pequim e Washington com “versões diferentes da intercepção de avião”. O South China explica que a China “rejeita alegações de que dois dos seus aviões-caça se aproximaram com perigo de uma aeronave americana”.

 

Finalmente, no jornal The Standard é preciso virar até à sexta página para encontrar a primeira notícia: “Não deixem Hong Kong apodrecer”, exorta Zhang Dejiang. O jornal gratuito destaca desta forma a mensagem deixada pelo presidente da Assembleia Popular Nacional no último dia de uma visita a Hong Kong.