Em destaque

20 de Março 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.2173 patacas e 1.1350 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 17/05/2016

A manifestação contra Chui Sai On, por causa da doação à Universidade de Jinan, é um tema em destaque em alguns diários de Macau. Em Hong Kong, os jornais viram atenções para o presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional, Zhang Dejiang, que chega hoje à cidade vizinha para uma visita de três dias.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun fala das 17 rotas alternativas para visitar a arquitectura, história e cultura da cidade. Este jornal publica fotografias de um grupo que se juntou para percorrer estes caminhos.

 

O Va Kio diz que começou ontem o período de defeso. Como habitual, numa reportagem com os pescadores, estes antevêem dificuldades no sector, especialmente por causa da falta de jovens para garantirem o futuro deste trabalho.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM diz que cinco pessoas foram, esta manhã, para Hong Kong, onde chega também o presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional. Estes residentes querem entregar cartas a Zhang Dejiang a pedir a reunificação em Macau com os filhos que vivem na China.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau publica uma fotografia de uma benfiquista, que ocupa quase toda a primeira página, com o título “campeão sem fronteiras” - de Los Angeles a Macau, por todo o lado se celebrou a vitória do Benfica, um clube português cada vez mais global, escreve este matutino.

 

A manchete do Jornal Tribuna de Macau diz “proposta subida gradual da pensão para idosos”. O Fundo de Segurança Social concordou com a su­gestão da empresa de consultadoria Willis Towers Watson, no sentido de adoptar um mecanismo re­gulador do aumento do montante da pensão para idosos, ligado a vários indicadores sociais, como a inflação. O destaque fotográfico remete para a procissão de Nossa Senhora de Fátima, uma “manifestação de fé”. Numa chamada de capa, o JTM diz que “manifestantes responsabilizam Chui Sai On”.

 

O Ponto Final faz o título principal com os 50 anos da Revolução Cultural: “o Oriente continua vermelho”. Sobre a manifestação contra o Chefe do Executivo, a propósito da doação à Universidade de Jinan, lê-se “aviõezinhos para Chui Sai On”. Os manifestantes tentaram entregar uma petição na residência oficial, mas depararam-se com a oposição das forças de segurança. O documento acabou por ir parar dentro do Palácio de Santa Sancha sob a forma de aviõezinhos de papel.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily coloca em grande plano uma entrevista a Mark Brown em que é dito que a Imperial Pacific vai terminar as suas operações em Macau. O director-executivo da subsidiária Best Sunshine International fala ainda da aposta na ilha de Saipan e da estratégia para uma fórmula de sucesso para o mercado do jogo. Em rodapé, o jornal financeiro escreve “adeus Sing Fong” - a “saga” do edifício está a chegar ao fim, depois da luz verde do Governo para a sua demolição.

 

O Macau Daily Times titula “jovens manifestantes dizem que Governo perdeu credibilidade” – a marcha foi realizada a propósito da doação da Fundação Macau à Universidade de Jinan. “China quase não nota 50 anos da revolução cultural”, é outro título na capa do Times.

 

No Macau Post lê-se em manhete “grupo pede cuidados de saúde gratuitos para idosos de Macau em Guangdong”. Noutro destaque, este diário dá conta que a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude vai criar uma conta no Wechat para notificar os pais.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily destaca Tim Cook. O director-executivo da Apple diz que a empresa norte-americana vai ajudar as aplicações chinesas a “tornarem-se globais”. Ainda em foco neste jornal oficial chinês, o presidente Xi Jinping que afirmou que “o lado da oferta precisa de uma reforma estrutural”.

 

O South China Morning Post titular “operação de segurança em pleno andamento para a chegada de Zhang Dejiang”. A polícia destacou seis mil agentes para evitar distúrbios durante a visita a Hong Kong do presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional.

 

O Standard também vira atenções para esta visita, mais propriamente para a zona de Wan Chai que se tornou num “forte”, escreve o jornal.