Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

13 de Maio: comunidades juntas pela fé e liberdade religiosa
Sexta, 13/05/2016

Cerca de mil pessoas participaram esta noite na procissão de Nossa Senhora de Fátima, que juntou fiéis das várias comunidades de Macau e também pessoas de Hong Kong e turistas. Participaram pela fé e pela liberdade religiosa. 

 

“Participamos porque somos católicos. Devemos vir. É um evento muito importante, é o nosso dever. Antes estávamos sob Administração portuguesa e esta é também a religião das pessoas de Macau. Nós mantemos todas estas tradições”, afirmou Diana, da comunidade chinesa. 

 

Uma ideia reforçada por Steven Lee, um católico que vem todos os anos de Hong Kong propositadamente para o 13 de Maio. “Vimos a esta procissão há vários anos, esta é uma tradição muito antiga. Em Hong Kong não temos um evento com esta escala, acho que esta procissão em Macau é a que tem a maior dimensão na Ásia. Mostra a outras pessoas que fazemos isto porque somo católicos, esta é a nossa fé.” 

 

Entre os participantes estavam ainda portugueses, macaenses e Filipinos. Também havia pessoas, por exemplo, de Timor-Leste, como a Dionísia. “Esta altura do ano é muito importante para nós porque somos cristãos, por causa da nossa fé. Esta é uma boa oportunidade para participarmos nesta procissão. Sinto-me muito feliz com a bênção da Nossa Senhora.” 

 

A procissão começou na Igreja de São Domingos e terminou na Igreja da Penha. A partir de hoje, Macau está também a assinalar o centenário das aparições de Fátima, que ocorre a 13 de Maio do próximo ano. Até esse dia, a imagem peregrina da Nossa Senhora vai visitar as 12 igrejas da cidade. 

 

A Igreja de São Domingos acolhe a imagem durante o primeiro mês, com recitação e meditação do terço em português e chinês diariamente e é a esta mesma igreja, que regressa a 13 de Maio de 2017.