Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 28/04/2016

As regras mais restritas para o acesso à profissão de notário privado é um tema presente em várias primeiras páginas dos diários de Macau. A zona económica especial de Qianhai está em grande plano nos jornais de Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dá voz a rumores de indicam que casas de habitação pública no Edifício do Lago estão no site Airbnb. O jornal acrescenta que a informação não foi ainda confirmada mas o Instituto de Habitação e os Serviços de Turismo estão já a investigar.

 

O Va Kio coloca em grande plano o secretário para a Segurança que adiantou será divulgado para consulta pública, em Junho, o novo texto do Estatuto dos Militarizados das Forças de Segurança de Macau. Wong Sio Chak sublinha que os agentes da PSP e os bombeiros terão mais oportunidades de avanço nas carreiras.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM diz, esta manhã, que o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, prometeu divulgar no próximo mês as primeiras conclusões do relatório sobre a revisão intercalar do sector do jogo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau titula “deixa andar” sobre os deputados terem descartado a criminalização das pensões ilegais. O hemiciclo foi sensível aos argumentos do Executivo. Em causa está a sobrecarga de trabalho da Polícia de Segurança Pública que passaria a ter de lidar com a questão. Em grande plano está o Instituto Salesiano: “futuro sem história”.

 

O Jornal Tribuna de Macau diz em manchete que “Hotel Central ambiciona voltar a ser ícone”. Não obstante o despejo do arrendatário do prédio onde se encontra o hotel, este irá continuar em funcionamento, assegura Manuela António, representante legal dos donos do histórico imóvel. O destaque fotográfico faz uma antevisão ao Dia do Trabalhador: “taxistas prometem maior marcha lenta de sempre”. Numa chamada lê-se que “advogados defendem critérios mais rígidos para exercício de notariado”.

 

O Ponto Final faz título com o ensino superior: “nova lei torna teses supérfluas”. O Governo quer facilitar o acesso à carreira docente por parte de quem queira continuar os estudos e sugere que a apresentação de uma dissertação de obtenção do grau de mestrado e de doutoramento deixe de ser obrigatória. “Governo aperta critérios de acesso ao notariado” é outro título a preencher a primeira página.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

Na primeira página do Bussiness Daily está um mealheiro, com o título “cuidado”. Segundo este jornal financeiro, as reservas fiscais de Macau que tiveram um retorno dos investimentos de 620 milhões de patacas no primeiro trimestre do ano, mas o Governo perdeu 1.220 milhões de patacas no mercado de equidades. Em rodapé lê-se “aumentar a parada” para os notários privados - o acesso à profissão vai ter novas regras e mais restritas.

 

No Macau Daily Times uma revelação de Abu Sayaf sobre ter planeado o assassinato do presidente das Filipinas Benigno Aquino e sequestrar o lutador Manny Pacquiao. Este diário jornal fala ainda das rendas: “deputados discordam da fórmula de actualização dos valores das rendas”.

 

No Macau Post Daily destaque para a indústria do jogo: “operadoras prometem cumprir objectivos para as receitas extra-jogo”. A propósito deste título o jornal publica uma fotografia de Angela Leong, da SJM, e de Linda Chen, da Wynn, a serem entrevistadas à margem de um seminário. Na primeira lê-se ainda que alfândega da China apreende correio com 90 aranhas venenosas.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily escreve em manchete que “Xi Jinping destaca a importância da Ciência e da Tecnologia”. O presidente da China procura um aumento “no sentido de missão” através da educação e melhores resultados. Este jornal oficial chinês diz noutro título que investidores da zona económica especial de Qianhai estão preocupados com os elevados preços do imobiliário em Shenzhen.

 

Esta zona, de cooperação entre Hong Kong e Zhenzhen, está também em foco no South China Morning Post só que este diário faz um título diferente, sobre o facto de a empresa de joalharia Chow Tai Fook Enterprises planear a abertura da sua sede na China justamente em Qianhai. Ainda os documentos do Panamá na primeira do South China. Há “mais duas universidades ligadas a paraísos fiscais”, nomeadamente a Universidade de Hong Kong e a Universidade Chinesa de Hong Kong.

 

O Standard titula “mordidelas na maça podre” a propósito da queda das receitas da Apple numa altura em que o iphone “perde finalmente o brilho”. O director-executivo da empresa norte-americana, Tim Cook, disse que a maior queda nas receitas dentro da China registou-se em Hong Kong.