Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 21/04/2016

Em destaque nos jornais de Macau está o plenário na Assembleia Legislativa onde foi aprovada na generalidade a proposta de lei de execução da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção e ainda debatido, por exemplo, o novo hospital das ilhas. Em Hong Kong, os jornais fazem títulos diferentes que incluem temas como drones chineses e a uma escola de elite que forma prémios nobel.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun titula “Polícia Judiciária fez apreensão de uma nova droga” que tem o nome de “happy tea”. Neste caso, foram detidos três cidadãos da China.

 

O Va Kio vira atenções as palavras da directora dos Serviços de Turismo. Helena de Senna Fernandes adianta que arranca no próximo mês uma consulta pública sobre o planeamento das políticas do turismo.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM destaca, esta manhã, a inflação, diz que desceu em Março.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Prognóstico reservado” é o título, acompanhado de fotografia, que ocupa quase toda a primeira página do Hoje Macau, a propósito da indefinição relativamente à conclusão do hospital das ilhas. Numa das chamadas de capa, o diário escreve “Barra, comércio em baixa”.

 

A manchete do Jornal Tribuna de Macau diz “circuito está viciado nas compras públicas”. As compras públicas representam cerca de 4% do PIB, porém, para Albano Martins, o problema não está no va­lor mas num circuito “viciado” que apenas beneficia um pequeno grupo. Em destaque fotográfico no JTM estão as casas de penhores que são “acusadas de mega burla”.

 

“Quarto minguante” escreve o Ponto Final em título sobre o urbanismo. O projecto de construção de uma torre de 127 metros na zona do Ramal dos Mouros pode estar por um fio, a julgar pelas críticas feitas à empreitada por boa parte dos membros do Conselho de Planeamento Urbanístico. Ainda em foco o edifício de doenças infecto-contagiosas: “hemiciclo quer explicações do Governo”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Mão mais pesada para contrabandistas”, lê-se no título principal do Business Daily, em referência à aprovação na generalidade pela Assembleia Legislativa da proposta de lei de execução da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção. Este jornal económico assinala ainda o primeiro aniversário da Ilha da Montanha e perspectiva o futuro do comércio e da circulação de veículos de Macau naquela zona.

 

“Offshore local não tem grandes vantagens” é o título do Macau Daily Times que cita um economista a propósito dos Panama Papers.  Em grande destaque neste diário está ainda uma fotografia de um centro comercial: “com o fim de uma década dourada, os centros comerciais em Hong Kong procuram uma nova identidade”.

 

“Governo prepara-se para destruir 150 quilos de marfim” é a manchete do Macau Post Daily. A informação foi avançada pelo director dos Serviços de Economia aos deputados ontem numa sessão plenária em que ficou aprovada a proposta de lei que permitirá uma aplicação mais abrangente da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily titula “procura por drones da Nação” - países estrangeiros querem drones “poderosos e acessíveis” para fins militares. Este jornal oficial chinês coloca ainda em foco a frase do director do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho do Estado, Zhou Bo, de que “as pessoas de Hong Kong deviam ser mais racionais”.

 

O South China Morning Post dá grande destaque ao dono da Alibaba. Jack Ma disse que a China vai ter “mais 20 anos de crescimento invejável”. Noutro título do South China lê-se “mais políticos referenciados nos documentos do Panamá”.

 

A manchete do Standard diz que “Hong Kong fica a ganhar com escola que formou prémios nobel”. Trata-se de uma escola internacional de elite, a Malvern College, que começa a aceitar inscrições a partir de Setembro.