Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Rui Martins: Falta dinheiro para investigação
Sábado, 16/04/2016

O vice-reitor da Universidade de Macau considera que a verba de 200 milhões de patacas disponibilizada pelo Fundo para o Desenvolvimentos das Ciências e Tecnologia é escassa. No programa Rádio Macau Entrevista, Rui Martins diz que esse valor “deve ser multiplicado por cinco ou por dez”. O vice-reitor considera também que o sector privado pode ter um papel importante, com mais investimento por parte das empresas.

 

Ainda assim, Rui Martins nota que nos últimos anos tem havido um grande desenvolvimento na área da investigação em Macau, como provam os projectos que vão nascer em breve com a chancela de investigadores de Macau.

 

“Houve projectos que chegaram à fase de patente internacional nos Estados Unidos e estamos a tentar, ainda este ano ou no principio de 2017, começar com um ou dois spin-off, um em cada área, baseados nesses projectos. Isso poderá surgir já na Universidade de Macau em instalações novas que temos na nova base de investigação, composta por cinco edifícios em que temos espaço dentro dos laboratórios de referência para essas spin-off poderem surgir, sendo que outras poderão também aparecer noutras áreas, nomeadamente na área das ciências da saúde, com a criação da recente Faculdade de Ciências da Saúde, em que se faz investigação na área do cancro e também na área do envelhecimento”, conta Rui Martins.

 

O vice-reitor considera ainda que outro sinal positivo do trabalho que se tem efectuado na Universidade de Macau é o facto da instituição constar da lista das melhores universidades do mundo, a par de universidades como as de Aveiro, Porto, Coimbra ou a Nova, de Lisboa.

 

“Dentro das universidades com  menos de 50 anos estamos, inclusive, dentro das 100 primeiras. Isso é um sinal de algum prestigio e qualidade. Dos países de língua portuguesa, as únicas universidades que aparecem nesta lista são as portuguesas que referi, algumas brasileiras e mais nenhuma. Os outros países, Angola, Moçambique ou Cabo Verde não têm nenhuma no ranking. Nesse sentido, ao longo dos últimos 20 anos, penso que se fez muito e que a Universidade de Macau está numa posição que é a correcta”, afirma Rui Martins.

 

Rui Martins foi o convidado desta semana do programa Rádio Macau, emitido sábado ao meio-dia e com repetição segunda-feira, às 10h30. A entrevista está também disponível na página electrónica da Rádio Macau.