Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

DSEJ desvaloriza taxa de inscrição cobrada por infantários
Quarta, 06/04/2016

Os resultados da primeira fase de acesso ao ensino infantil são conhecidos esta quinta-feira. Para pais e encarregados de educação, a informação sobre o estado das matrículas vai estar disponível online, graças ao novo sistema de inscrições.

 

A Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) diz que o novo modelo de acesso aos infantários está a funcionar bem. “Temos um efeito positivo com o registo central. Os pais apoiam esta medida e dizem que é muito conveniente. Pelo menos, não  precisam de formar uma grande fila para levantar os boletins de inscrição”, destaca Wong Kin Mou, chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos.

 

Com o novo sistema de registo, as escolas estão impedidas de limitar o número de inscriçoes e entrevistas. Os infantários privados que não fazem parte do ensino gratuito cobram uma taxa de inscrição, que pode chegar às mil patacas. É este o valor pedido em escolas como o Jardim de Infância D. José da Costa Nunes ou a Escola das Nações.

 

A DSEJ rejeita que esta seja uma forma fácil de fazer dinheiro e diz que o valor depende do tipo de entrevistas feito pelas escolas. O Governo fiscaliza. “Temos uma fiscalização das contas. O dinheiro recebido dos pais através das entrevistas deve ser utilizado no ensino”, garante Wong Kin Mou.

 

Todos os anos lectivos, as escolas entregam aos Serviços de Educação um relatório de contas. A DSEJ diz ainda ter orientações para os infantários seguirem durante as entrevistas e declaram-se prontos a fazer vistorias.

 

Das 77 escolas com ensino infantil em Macau, 10 não integram a escolaridade gratuita. A DSEJ pretende alargar a rede. No próximo ano lectivo, há mais uma escola na lista: o Colégio do Sagrado Coração de Jesus (secção inglesa).