Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

MP desafiado a iniciar investigação contra testemunha
Segunda, 22/02/2016

O advogado de defesa de Alan Ho, Neto Valente, desafiou o Ministério Público a extrair uma certidão para procedimento criminal contra um funcionário do Hotel Lisboa, Louis Ieong, que foi denunciado durante o julgamento.

 

Em sessões anteriores do julgamento, Louis Ieong foi ouvido como testemunha da acusação mas acabou por ser denunciado pela quinta arguida, Qiao Yan Yan, antiga prostituta e adjunta de Kelly Wang, segunda arguida, na gestão do departamento das Young Single Ladies do Hotel Lisboa.

 

Segundo Qiao Yan Yan, na altura em que se prostituía no Hotel Lisboa este funcionário cobrou-lhe dinheiro para assegurar que podia trabalhar na unidade hoteleira. Depois disso, no decorrer do julgamento, outros funcionários do Hotel que prestaram depoimento confirmaram a existência de queixas e denúncias contra o mesmo funcionário.

 

Foi o que aconteceu hoje no depoimento de Johnson Chan, antigo gerente do Hotel Lisboa, que confirmou novamente a existência de denúncias contra o funcionário.

 

O que é certo é que até ao momento o Ministério Público não requereu a extracção de qualquer certidão e, pelo contrário, no decorrer no julgamento a Procuradora do Ministério Público tem-se insurgido contra as questões que têm sido colocadas e que envolvem este funcionário do Hotel Lisboa.

 

“Não é aqui que se faz investigação. Onde está o interesse destas perguntas?”, protestou hoje a Procuradora, perante a insistência dos advogados no momento em que inquiriam Johnson Chan sobre as denúncias existentes contra o referido funcionário do Hotel Lisboa.

 

De acordo com elementos que têm sido tornados públicos durante o julgamento, Louis Ieong será o autor da denúncia contra a segunda arguida do processo, Kelly Wang, denúncia essa que terá estado na origem da investigação e das detenções levadas a cabo no início de 2015.

 

"Até aqui tenho estado à espera que o Ministério Público requeresse a extracção de uma certidão (...),não o fez até agora nem quis aprofundar a matéria. Mas estamos aqui à procura da verdade e já se viu bem quem é que arranjou esta trapalhada e porquê", declarou Neto Valente, no momento em que inquiria Johnson Chan.