Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 18/02/2016

As críticas do Presidente da Assembleia Legislativa em relação à lentidão do Governo no processo legislativo e o caso de um feto sem vida que foi encontrado pela Polícia Judiciária são alguns dos destaques da imprensa de Macau.

 

Jornais de Macau em Língua Chinesa

Ou Mun escreve hoje sobre o caso da mulher Filipina que foi detida pela Polícia Judiciária e que terá roubado mais de 800 mil patacas de dois ex-patrões que já tinham falecido.

 

Em primeiro plano estão também as obras na ponte Hong Kong, Macau, Zhuhai. O jornal refere que 2016 é um ano decisivo para a conclusão atempada da infra-estrutura. Prevê-se que em Agosto de 2016 o tabuleiro da ponte possa estar integralmente concluído.

 

Va Kio dá voz às declarações do presidente da Assembleia Legislativa, Ho Iat Seng, que reconhece a necessidade de melhorias no processo legislativo. Apesar da legislação que tem sido aprovada no sentido de responder aos novos desafios da sociedade, Ho Iat Seng, reconhece que o desempenho da Assembleia Legislativa está ainda aquém das expectativas, mas atribui ao Governo grande parte das responsabilidades pela lentidão com que opera.

 

Também no Va Kio, referência às críticas da deputada Ella Lei em relação à actuação do Governo no dossier das contribuições para o Fundo de Segurança Social. Na opinião da deputada ligada ao sector laboral, o Governo tem adoptado uma atitude demasiado passiva nas negociações que têm decorrido sobre a proporção das contribuições entre patrões e trabalhadores.  

 

Canal chinês da Rádio Macau

Ou Mun Tin Toi está a dar conta de um caso detectado pela Polícia Judiciária: uma mulher filipina conservava em casa o feto de quatro meses que deu à luz já sem vida. O caso foi detectado num edifício vizinho ao Flower City no âmbito das investigações sobre a recém-nascida que, na véspera, tinha sido abandonada no lixo na mesma zona.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

Jornal Tribuna de Macau tem em manchete as palavras do Presidente da Assembleia Legislativa sobre as falhas que persistem no trabalho legislativo do órgão.  No destaque fotográfico, a casa de Lou Kau e a indefinição que persiste em relação ao projecto de recuperação do imóvel.

 

“Turista à força”, lê-se no Hoje Macau, que divulga o caso de um estudante estrangeiro do Instituto de Formação Turística a quem foi negado o visto de estudante e que teve que sair de Macau para regressar como turista.

  

Quanto ao Ponto Final, elege para tema principal a luz verde dada pela Assembleia Legislativa para a realização de um debate sobre a introdução de cláusulas penais compensatórias nos contratos de obras públicas, o que resultou de uma proposta da deputada Ella Lei.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

Polícia detém Filipina no Flower City com um feto morto, é a manchete do Macau Post Daily. O jornal reproduz ainda uma declaração de Donald Trump, o candidato à nomeação republicana para as presidenciais de Novembro nos Estados Unidos: “A tortura funciona”.

 

A manchete do Business Daily reflecte as declarações de Ho Iat Seng, no apontar de responsabilidades ao Governo pela lentidão no processo legislativo. O jornal dá ainda eco às declarações de Chui Sai Peng que pede urgência ao Governo na candidatura ao Banco Asiático de Desenvolvimento.

 

O Macau Daily Times diz que o número de trabalhadores não residentes não qualificados aumentou 160 por cento nos últimos cinco anos, ao passo que o número dos qualificados estagnou.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

No South China Morning Post o destaque vai para projecto para o passeio em Tsim Sha Tsui foi abandonado, mas a “Avenue of Stars” vai continuar fechada até 2018.

 

No China Daily o principal destaque vai para Pequim que entende que as instalações defensivas e no mar do sul da china são legítimas.

 

O Standard tem como tema principal o projecto para a zona de Tsim Sha Tsui - os planos para a zona ribeirinha foram cancelados.