Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

2015 registou menos transacções e metro quadrado mais barato
Quarta, 17/02/2016

São números que confirmam um cenário de quebra no sector imobiliário: no ano passado, diminuiu o número de transacções e também houve uma desvalorização do metro quadrado. A tendência verificou-se tanto no mercado da habitação como nos espaços destinados a escritórios e indústrias.

 

De acordo com os dados dos Serviços de Estatística e Censos, em 2015 foram transaccionadas 9771 fracções autónomas – é uma queda anual de 26 por cento, ainda assim inferior à queda de 38 por cento no valor que foi pago pelo total dos negócios: 51,66 mil milhões de patacas.

 

A maior parte consistiu em fracções destinadas a habitação – 5976 (menos 21,6 por cento) pelo valor de 33,45 mil milhões (descida de  33 por cento).

 

Na habitação, o preço médio por metro quadrado baixou 13 por cento para 86.826 patacas. Já o preço médio por metro quadrado das fracções autónomas destinadas a escritórios foi de 113.444 patacas – diminuição de 3,3 por cento –, enquanto os espaços industriais registaram um preço médio do metro quadrado de 50.564 patacas, uma desvalorização anual de 6,8 por cento.

 

Apesar de as contas anuais se saldarem por descidas, os resultados do quarto trimestre de 2015, comparados com os três meses anteriores, indicam subidas em termos das transacções, mas descidas em termos dos valores alcançados.

 

Entre Outubro e Dezembro transaccionaram-se 2482 fracções, mais 6,8 por cento do que no trimestre anterior. Porém, o valor das transacções foi de 11,04 mil milhões de patacas, uma redução de 11,7 por cento também em termos trimestrais.