Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

BNU representa quase metade da área internacional da CGD
Sexta, 05/02/2016

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) deu em 2015 lucros de 58,8 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos (CGD). De acordo com os dados apurados pela TDM junto do BNU, os ganhos registados no ano passado traduzem um aumento de 40 por cento face a 2014 e representam 42 por cento de toda a área internacional do banco público português.

 

Segundo as explicações do presidente da comissão executiva do BNU, Pedro Cardoso, a subida de 40 por cento nos lucros é devida, sobretudo, à diferença cambial, que teve em conta a progressiva desvalorização da moeda única europeia ao longo de 2015.

 

Em Macau, os lucros do BNU totalizaram 521 milhões de patacas, um crescimento de 17 por cento alimentado principalmente pelo aumento de 21 por cento no volume de negócios da instituição.

 

Em declarações à TDM, Pedro Cardoso afirmou que os resultados são “bastante bons” e prometeu mais trabalho no sentido de uma maior fidelização de clientes.

 

Entre os planos, o BNU conta abrir mais duas sucursais, sendo que a primeira será em Coloane. Ainda no futuro próximo, o banco conta também expandir-se à Ilha da Montanha entre o final de 2016 e o início de 2017 – a abertura dessa sucursal significará o início das operações do BNU em renminbi.

 

Os resultados da CGD foram apresentados esta quinta-feira, em Lisboa, e colocam o BNU e Macau como a operação internacional do banco público português com maiores lucros em 2015.

 

Na lista das operações no exterior do banco público português com melhores resultados seguem-se França, com 43,3 milhões de lucros, Angola, com 34 milhões, e Espanha, com 25,3 milhões.

 

No geral, em 2015 a CGD registou um resultado líquido negativo de 171,5 milhões de euros, ainda assim uma recuperação significativa face ao prejuízo de 348 milhões de euros em 2014.