Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 05/02/2016

Aves e ainda a saída de Au Kam San da Associação Novo Macau – são alguns temas em grande plano nos jornais que hoje se publicam.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun foi visitar os mercados de Macau e falar com os vendedores de aves, que lamentam ter perdido a oportunidade de negócio por causa do abate e suspensão da importação.

 

O Va Kio tem também como tema central da edição a questão das aves que foram abatidas e as expectativas que existem em relação ao fornecimento antes ainda do ano novo lunar.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a dar conta da diminuição do número de empresas constituídas nos últimos três meses do ano passado. Outros números oficiais de que a emissora tem estado a falar dizem respeito aos cartões de crédito, que aumentaram entre Setembro e Dezembro.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve na manchete que “6500 queixas por ruído resultam em 40 acusações”. No destaque fotográfico, “crenças e previsões para o ano do Macaco”: “No mundo misterioso das ‘leituras’ da vida”.

 

“Ao sabor da vida”, lê-se no Hoje Macau, que entrevistou o deputado Au Kam San. Em foco também o festival Rota das Letras: “Dos clássicos lusos e chineses para a internacionalização”.

 

Quanto ao Ponto Final, traz na manchete “Dia negro para Alan Ho”. Referência também para a Liga de Elite: “Benfica isola-se na liderança”.

 

O Clarim diz que há uma “Nova página da história” – “Papa na China, Santa Sé nomeia bispos com o consentimento de Pequim, Taiwan perde reconhecimento”. Noutro título da capa, a entrevista ao Padre Armindo Vaz, professor de Sagrada Escritura: “O inferno é o não sentido de uma pessoa”.

 

O Plataforma Macau ilustra a página com uma fotografia de dois macacos, a desejar bom ano novo chinês. Nos destaques, o trânsito (“Beco sem saída”) e as aspirações do Instituto Politécnico de Macau (“Acreditar na tradução”).

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily conta que foram recusados pelos tribunais vários recursos interpostos por concessionários de terras. O económico publica também declarações de Au Kam San.

 

Quanto ao Macau Daily Times, escreve na manchete que o “Yuan vai erodir, mas não acabar, com o domínio do dólar”. No destaque fotográfico, a escultura das Ruínas de São Paulo que tem dado que falar no Festival de Neve de Sapporo.

 

Já o Macau Post Daily dedica grande parte da primeira página à Casa de Lou Kau: uma parede de um prédio vizinho, em obras, danificou o edifício que faz parte do património reconhecido pela UNESCO. Espaço ainda na capa para o Orçamento português, adoptado pelo Governo “sem a aprovação da União Europeia”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily está o primeiro posto naval de apoio logístico que a China deverá criar no estrangeiro: será no Djibouti, para ajudar na manutenção da paz no Corno de África. Noutro texto, o jornal oficial explica quais são as novas plataformas para ajudar a economia nacional.

 

O South China Morning Post dá destaque ao facto de ter sido assinada a Parceria Transpacífico, o acordo que junta 40 por cento das economias mundiais. Na actualidade local, “Teste controverso pode voltar às escolas da cidade no próximo ano”.

 

Por último, o Standard, que volta a ter como notícia principal da edição o caso dos livreiros de Hong Kong: as autoridades de Guangdong dizem que Lui Bo, Cheung Jiping e Lam Wing-kei estão detidos na província por terem levado a cabo “actividades ilegais na China Continental”.