Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Doenças mentais: Planeados mais lugares para tratamento
Terça, 02/02/2016

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura afirmou hoje, na Assembleia Legislativa, que o Governo pretende aumentar o número de vagas para pacientes que sofrem de doenças mentais. Alexis Tam referiu que em 2018 os lugares disponíveis vão mais do que duplicar.

 

“Durante o período compreendido entre 2016 e 2017, o Instituto de Acção Social irá criar um centro de reabilitação profissional, um programa de serviço de apoio comunitário e um programa de apoio destinado a proporcionar alojamento temporário. Importa sublinhar que, no respeitante ao programa de serviço de apoio comunitário, está previsto um aumento gradual de vagas nos próximos três anos, passando das actuais 220 para cerca de 490 vagas em 2018, o que permitirá uma melhor prestação dos serviços necessários, quer para os reabilitados de doenças mentais, quer para as suas famílias”, enumerou Alexis Tam, em resposta a uma interpelação oral da deputada Angela Leong.

 

Nesta sessão plenária, Alexis Tam também esclareceu que, em 2015, foi prestado aconselhamento psicológico a mais de quatro mil utentes com problemas mentais em instituições médicas sem fins lucrativos.

 

O secretário disse igualmente que o rácio está muito melhor actualmente e garante que há profissionais suficientes para fazer face à procura. “Neste momento, contamos com 33 psicólogos e 14 médicos psiquiátricos e assistentes psicológicos. Quanto ao rácio médicos/pacientes, para cada 10 mil cidadãos temos já 9,6 médicos ou assistentes psicológicos. Os recursos humanos conseguem satisfazer as necessidades, bem como as recomendações da Organização Mundial de Saúde”, afirmou.

 

Já o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, realçou que houve uma descida no número de suicídios nos últimos anos. A taxa, no ano passado, era de 8,2 por cada 100 mil habitantes, quando em 2014 rondava os 10.