Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Plano de recolha selectiva fracassou, admite secretário
Terça, 02/02/2016

O secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, admite que “tem havido um fracasso” no que diz respeito à recolha selectiva de lixo. “Sei que é um plano fracassado. Perto da minha casa, há um recipiente de aço para recolha de plástico, papel e metais. Nunca me cruzei com ninguém a fazer o mesmo. Já fui lá várias vezes”, acrescentou.

 

Raimundo do Rosário respondia a uma interpelação de Chan Hong. A deputada sublinhou que a “taxa de reciclagem é desproporcionada em comparação com o avolumar do lixo e o desenvolvimento económico” e “está aquém do objectivo definido”.

 

Para o governante uma das apostas deve ser a formação, lembrando que têm vindo a ser feitas campanhas de sensibilização, tanto para crianças como para adultos. Raimundo do Rosário entende que a reciclagem é “uma obrigação” dos cidadãos. “Ou a pessoa tem a intenção de fazer isso ou não tem. Não há necessidade de criar uma lei. Acho que mais vale reforçar a sensibilização e a educação. Agora produzir uma lei para obrigar as pessoas a separar o lixo? Não temos a intenção de produzir uma lei desta natureza porque temos mais leis para serem produzidas” afirmou o governante.

 

Raimundo do Rosário disse ainda esperar que, “na segunda metade de 2017, se possa avançar com os trabalhos para o tratamento de materiais e veículos abandonados ou degradados”.