Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 09/12/2015

O caso do grupo imobiliário Polytec é um dos temas em destaque nos jornais de Macau. Os diários em língua inglesa de Hong Kong viram atenções para a morte da activista e defensora dos menos privilegiados, Elsie Tu.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun titula que mais de 100 proprietários do Pearl Horizon entraram no escritório da Polytec para falar com o líder da empresa, mas foram recebidos apenas por funcionários. Uma acção que vem na sequência da decisão do Governo, anunciada esta segunda-feira, de reaver o terreno onde a Polytec deveria ter desenvolvido o complexo habitacional. O prazo de concessão termina a 25 de Dezembro.

 

O Va Kio foca este mesmo tema, colocando em grande plano a secretária para a Administração e Justiça. Ontem, Sónia Chan reiterou aos jornalistas que o Governo não tem responsabilidades no caso, que espera ver resolvido através da lei.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

Esta manhã, a Ou Mun Tin Toi também noticia que ontem mais de uma centena de proprietários do Pearl Horizon tentaram pedir esclarecimentos ao líder da Polytec, embora sem sucesso.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

A manchete do Hoje Macau é “sufoco vermelho”. Pela primeira vez na história da capital chinesa o alerta vermelho de poluição foi decretado. Quem lá vive diz que a situação é má, mas não difere muito de tantos outros dias vividos durante o ano. “Era uma vez um terreno...”, é o título sobre o caso Pearl Horizon.

 

O Jornal Tribuna de Macau titula “abertas linhas de apoio para compradores do Pearl Horizon”. O Governo decidiu declarar a caducidade da concessão do lote destinado à construção do complexo Pearl Horizon, mas apelou à calma dos compradores, prometendo apoiá­-los com consultas jurídicas gratuitas e linhas de informação em três serviços públicos. “Costa Nunes acolhe mais alunos chineses”, é o título do destaque fotográfico.

 

O Ponto Final escreve “fim de festa”, sobre a decisão do Governo de declarar a caducidade do terreno onde deveria ser construído o complexo residencial Pearl Horizon. “Os 25 anos do roteiro para uma Macau alternativa”, lê-se ainda na primeira página, sobre uma iniciativa que é recordada na próxima sexta-feira na Livraria Portuguesa.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily titula “compradores admitem lançar um processo colectivo à empresa do Pearl Horizon”. Já a empresa concessionária, Polytec, acusa o Governo de demorar anos nas burocracias de autorização ao projecto residencial.

 

O mesmo assunto faz a manchete do Macau Post, mas de um ângulo distinto: “compradores de apartamentos do Pear Horizon ensaiam um sit in” – um protesto que juntou cerca de cem compradores à porta do grupo imobiliário Polytec, na Areia preta. Publicada na primeira está ainda a fotografia do protesto. O jornal também fala do “bónus de férias”, a propósito do volume de passageiros do aeroporto, que cresceu 6,5 por cento, para 480 mil, até Novembro, graças ao crescimento dos visitantes de 34 por cento.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily vira atenções na primeira página para a morte de Elsie Tu – “a defensora dos pobres”, que morreu aos 102 anos. Outro destaque fotográfico faz referência ao problema da poluição que está a afectar gravemente a capital chinesa.

 

O South China Morning Post coloca igualmente em grande destaque Elsie Tu, realçando que, durante os 64 anos em Hong Kong, a activista inglesa e advogada defendeu causas sociais e lutou contra a corrupção. O matutino escreve ainda que se tornou numa “lenda”.

 

O Standard também dedica grande parte da primeira página a Elsie Tu. Na manchete lê-se “campeã das pessoas morre aos 102 anos”.