Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Saúde: Tam diz aos deputados que população está primeiro
Sábado, 05/12/2015

Ao segundo dia de debate na Assembleia Legislativa, Alexis Tam voltou a ouvir críticas por estar a fazer um grande investimento no serviço público de saúde. Vários deputados parecem estar preocupados com as consequências para o Hospital Kiang Wu e às clínicas privadas se o Centro Hospitalar Conde de São Januário começar a ser mais procurado pela população.

 

Até Au Kam San, conhecido por criticar o financiamento público ao sector privado, alinha no mais recente discurso sobre a saúde: a boa vontade do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura em relação ao sector público da saúde pode ser contraproducente para o sector privado, uma ideia que se ouviu ao longo dos últimos dois dias e que teve como principal defensor Fong Chi Keong. O deputado avisou que vem aí “uma catástrofe” e deixou um conselho a Alexis Tam.

 

“Pode haver uma catástrofe na área da saúde. Agora há muito dinheiro, se fizer dessa forma nem com muito dinheiro conseguimos. Fazemos uma aposta aqui. O secretário é novo no cargo, claro que tem a ambição de fazer algo brilhante, mas tem de, nesse caminho, tomar medidas de forma gradual e não alterar por alterar”, disse Fong Chi Keong.

 

Numa primeira resposta, Alexis Tam fez questão de sublinhar que a população e o interesse da população estão em primeiro lugar – mensagem que, de resto, deixou também no fim do debate na Assembleia Legislativa, deixando claro que não está no Governo para defender o interesse de uma minoria.

 

Fong Chi Keong não se deu por vencido com as primeiras explicações e, sem falsos pudores, fez as contas: há oito deputados com ligações ao Hospital Kiang Wu. Não espanta, por isso, que a Assembleia saia em defesa de uma dama comum a tantos tribunos.

 

Na réplica, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura usou da mesma frontalidade. “Eu percebo. Se calhar queriam que o [Governo] adquirisse mais serviços da vossa parte. Compreendo a vossa posição. A mensagem que recebi – e que a maioria recebeu – às tantas até é uma boa ideia, não é má, podemos pensar nesta vertente”, disse, não deixando de salientar, no entanto, que o Governo já recorre à aquisição de vários serviços do Hospital Kiang Wu.