Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Português: Universidade quer evitar desperdício de recursos
Quarta, 02/12/2015

O fim do Português na Universidade de Macau como disciplina opcional tem que ver com o “desperdício de recursos”. É a justificação dada pela instituição de ensino superior para a diminuição gradual, já a partir do próximo semestre, das aulas opcionais de língua portuguesa, que desaparecem no ano lectivo 2016/2017. A universidade garante, no entanto, que o português continua a merecer grande importância.

 

Num comunicado enviado à Rádio Macau, a Universidade de Macau começa por garantir que “sempre prestou grande importância às cadeiras de Português” e explica que a disciplina “Língua Portuguesa I – Introdução ao Português” era oferecida, no passado, como uma das 13 cadeiras opcionais no âmbito do programa de Educação Holística. A instituição acrescenta que “infelizmente, a maior parte dos alunos que escolhiam esta cadeira normalmente paravam quando atingiam o nível 1”, uma versão dos acontecimentos diferente do contexto dado à Rádio pela directora do Departamento de Português – Fernanda Gil Costa garante que muitos dos alunos que têm aulas no primeiro semestre gostariam de continuar a estudar no segundo semestre.

 

No comunicado da Universidade de Macau, a entidade afirma que, “para apoiar a política do Governo que tem como objectivo treinar mais profissionais que dominem bem a língua portuguesa, a universidade identificou o Departamento de Português como um departamento-chave e a língua portuguesa como uma disciplina fundamental”, aditando que “a atribuição de recursos favorece o Departamento de Português”.

 

A instituição de ensino superior continua a defesa da sua posição alegando que, “para encorajar os alunos a continuarem a estudar Português e para evitar o desperdício de recursos”, a Universidade de Macau vai incorporar a cadeira de “Língua Portuguesa I – Introdução ao Português” num programa de “minor” em Estudos Portugueses no ano lectivo de 2017/2018. Neste programa, os estudantes terão de completar 18 créditos  para concluírem o “minor”. A universidade não explica quantos alunos se pretende atrair com esta opção, que vem substituir o Português como disciplina opcional para todos os alunos do estabelecimento de ensino.