Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (quarta-feira)
Quarta, 02/12/2015

As receitas do jogo, as medidas que estão a ser pensadas para o controlo fronteiriço e os riscos possíveis da entrada do yuan no cabaz de divisas do Fundo Monetário Internacional – são alguns dos assuntos em grande plano nos jornais que hoje se publicam.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun ocupa grande parte da primeira página com as medidas que estão a ser estudadas por Macau e por Guangdong para facilitar o controlo transfronteiriço. Em foco também as preocupações manifestadas por alguns deputados em relação à imigração ilegal.

 

O Va Kio opta por destacar a queda das receitas do jogo no mês passado.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado a ouvir várias pessoas sobre o planeamento urbanístico, no âmbito do programa Fórum Macau. Outra notícia desta manhã: o Governo reviu a concessão, por aforamento, de um terreno na Avenida do Almirante Lacerda concedido à Associação de Beneficência do Hospital Kiang Wu. A entidade vai poder construir dois edifícios de cinco pisos cada: um deles é destinado a ossário e columbário, e o outro vai servir para a prestação de serviços funerários.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Fronteiras testam sistema de inspecção unificada”, diz o Jornal Tribuna de Macau. No destaque com fotografia, um automóvel a entrar no parque de estacionamento de Nam Van, para o título “Subida de preços melhora rotação nos auto-silos”.

 

“Socorro”, lê-se no Hoje Macau, a propósito da Cimeira de Paris, “a última oportunidade para fazermos marcha atrás na destruição do planeta”. Noutro destaque, a tomada de posse do novo director da Inspecção e Coordenação de Jogos: “Paulo Chan põe as cartas na mesa”.

 

Quanto ao Ponto Final, elege para tema principal da edição as Linhas de Acção Governativa: “Simplex nas fronteiras”. A ocupar metade da primeira página, a chamada para uma entrevista a Luís de Matos e a pergunta “Pode a magia mudar Macau?”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily conta que há um novo protocolo a ser discutido para o controlo alfandegário entre Macau e a China. Noutro destaque, a possibilidade de o Produto Interno Bruto diminuir mais de 20 por cento este ano e as garantias dadas pelo secretário para a Economia e Finanças.

 

Quanto ao Macau Daily Times, puxa para a manchete pelos resultados dos casinos em Novembro, ao escrever que receitas caem 32 por cento numa altura em que existe pressão no mercado VIP. No destaque fotográfico, o que sobrou do avião da Air Asia que se despenhou no ano passado, numa referência às conclusões do inquérito sobre o acidente.

 

O Macau Post Daily também traz nas parangonas os resultados do jogo, os mais baixos desde 2010. Noutro texto a merecer publicação na capa, a taxa de popularidade do Presidente francês, que subiu depois dos ataques de Paris.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily relata que Pequim está a postos para lidar com os riscos possíveis da entrada do yuan no cabaz de divisas do Fundo Monetário Internacional. O jornal oficial conta ainda na primeira página que o número de estrangeiros com VIH/SIDA tem estado a aumentar na China Continental.

 

O South China Morning Post dá também destaque nas gordas à possibilidade de o yuan passar a fazer parte do cabaz de divisas do Fundo Monetário Internacional, dando conta da mensagem tranquilizadora do vice-governador do Banco Popular da China. No destaque com fotografia, uma série de telemóveis prontos a fotografar a cerimónia do içar da bandeira na Praça de Tiananmen. A imagem foi captada ontem, um dia em que a visibilidade foi muito afectada pelos elevados níveis de poluição em Pequim.  

 

Quanto ao Standard, tem como notícia principal da edição de hoje uma descoberta perigosa para a saúde: foi detectado um químico utilizado no vestuário em três reservatórios de água na província de Guangdong.