Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Anima: Canídromo por mais um ano “não é melhor solução”
Segunda, 23/11/2015

A renovação da exploração do canídromo por mais um ano, publicada hoje em Boletim Oficial, “não é a melhor solução” de acordo com Albano Martins, presidente da Anima – Sociedade Protetora dos Animais.

 

Em declarações à Rádio Macau, Albano Martins lembrou que o Executivo encomendou um estudo que terá a duração de um ano, pelo que “acho que o Governo procedeu de acordo com aquilo que disse, dando um ano ao canídromo, o que, para nós, não é a melhor solução”.

 

Ainda assim, o presidente da Anima entende que a renovação por um ano “é melhor do que o que a Angela Leong [directora da Companhia de Corridas de Galgos Macau (Yat Yuen)] andou a pedir, que é a renovação por mais três ou quatro anos para construir habitação para jovens, como se o terreno fosse do canídromo”.

 

A concessão de exploração do canídromo, com a duração de dez anos, terminava em Dezembro e o Governo já tinha dito que a pretendia renovar temporariamente, depois de ter pedido um estudo cujas conclusões só serão conhecidas dentro de um ano.

 

As corridas de galgos que se realizam no canídromo de Macau têm motivado protestos internacionais por parte de organizações que denunciam que, todos os anos, 400 galgos morrem ou são abatidos em Macau.

 

Nas declarações à Rádio Macau, Albano Martins afirmou que “independentementede de termos pedido ao Governo para não autorizar mais importação de animais, na semana passada, de acordo com as nossas fontes da Austrália, chegaram mais 30 animais ao canídromo, o que significa que eles estão a matar 30 por mês”.