Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 20/11/2015

O Grande Prémio de Macau e as contas do hospital público, reveladas ontem, são temas fortes nos jornais locais. Na imprensa de Hong Kong, espaço para Xi Jinping, que condenou ontem a execução de um chinês feito refém pelo Estado Islâmico.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca o facto de ontem, primeiro dia do Grande Prémio de Macau, se terem registado situações complicadas no trânsito.

 

O Va Kio também olha com atenção para o Grande Prémio e para o impacto na circulação na cidade.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a acompanhar os treinos do Grande Prémio. Noutro tema do alinhamento dos noticiários, a emissora dá conta da lista de individualidades e entidades agraciadas com medalhas e títulos honoríficos pelo Governo de Macau.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

Em foco no Jornal Tribuna de Macau estão dois temas: “Despesas com pessoal dos Serviços de Saúde devem crescer 10 por cento” e “Lótus de Ouro para três ex-secretários e Proença Branco”. Com direito a fotografia, o Grande Prémio de Macau: “Felix Rosenqvist à procura do ‘bis’”.

 

“Caras lacunas”, lê-se no Hoje Macau, acerca dos gastos da saúde: “Privados colmatam falhas da saúde pública”. Noutro destaque, “Médico Rui Sá perde recurso na Segunda Instância”. No topo da primeira página, “André Couto explica como é conduzir no Circuito da Guia”. 

 

Quanto ao Ponto Final, elege para tema principal da edição a saúde, com o título “Kiang Wu vs São Januário”. Nota também para a arte – “Do casino para o autocarro” – e para o suplemento sobre o Grande Prémio.

 

O Clarim faz manchete com mais uma edição do Grande Prémio de Macau. Noutro destaque, uma fotografia de Chui Sai On, para o título “Macau 2020” – “Plano de desenvolvimento quinquenal condiciona Linhas de Acção Governativa”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily conta que “visitantes contêm-se nas despesas”. Os cidadãos chineses estão a gastar menos em Macau: a despesa total dos visitantes (excluindo a despesa no jogo) caiu de 19,5 por cento para cerca de 12,5 mil milhões de patacas. Noutra notícia em destaque, o económico escreve que em retracção no terceiro trimestre estiveram também os negócios bancários internacionais.

 

“Abertura do Wynn Palace adiada devido a atrasos na construção”, é o título escolhido pelo Macau Daily Times. O destaque fotográfico deste matutino remete para a APEC – “Protestos e pobreza esmagadora por trás de pompa da cimeira”.

 

O Macau Post Daily escreve nas gordas que “hospital público promete medidas para salvaguardar privacidade dos pacientes”. O director do hospital anunciou várias decisões, na sequência do abandono, no mês passado, de registos médicos na via pública. Noutro título, o jornal diz que “Nações Unidas condenam execuções hediondas pelo Estado Islâmico de reféns chinês e norueguês”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily está o terrorismo: “Xi Jinping condena Estado Islâmico por execução de cidadão chinês”. Noutro texto a merecer publicação na capa, as intenções de Li Keqiang, que pretende construir laços mais fortes no encontro da ASEAN que hoje começa na Malásia. 

 

O South China Morning Post dá destaque à revisão das políticas da Securities and Futures Comission, que pretende assim resolver os problemas detectados com a entrada de novas empresas no mercado de acções. Em foco também o facto de Xi Jinping ter condenado a execução de dois reféns – um deles chinês –, com o matutino a referir que não há grande margem para manobras da China.

 

Por último, o Standard, que tem como notícia principal da edição de hoje o facto de os atentados em Paris não estarem a demover os turistas de Hong Kong interessados em destinos europeus – há quem já esteja a fazer as malas para passar o Natal na Europa.