Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Serviços de Saúde agem para reforçar protecção de dados
Quinta, 19/11/2015

Os Serviços de Saúde vão criar dois grupos de trabalho para reagirem a problemas como o que aconteceu recentemente de abandono na via pública de registos médicos do Hospital Conde de São Januário. A informação foi avançada, esta manhã, pelo director do hospital público, Kuok Cheong U, que prometeu ainda outras medidas para reforçar a segurança no tratamento de dados pessoais dos pacientes.

 

Em conferência de imprensa, Kuok Cheong U assegurou também que o hospital irá, gradualmente, reduzir a utilização de papel, dando primazia à informatização dos dados. O director do São Januário também avança que serão criados dois grupos para darem resposta a emergências de carácter administrativo. “Vamos seguir as recomendações da Comissão Nacional de Saúde da Austrália (...) teremos então um grupo de trabalho para a gestão de crises e depois ainda um grupo de trabalho de audiência para acompanhar todas as situações e tentar fazer um levantamento de todas as possibilidades de risco.”

 

Estas duas medidas são anunciadas pelo hospital público depois de, no mês passado, terem sido encontrados registos médicos, com dados pessoais dos pacientes, na via pública. Dois auxiliares de limpeza foram culpados do caso e despedidos, uma decisão que mereceu as críticas de deputados como Ng Kuok Cheong e Pereira Coutinho que defendem uma responsabilização de dirigentes.

 

Mas o director do hospital insiste que esta foi a decisão acertada. “No relatório da investigação diz claramente que não foram descobertos quaisquer dirigentes ou chefes de serviços que violaram as orientações relativas ao tratamento desses resíduos ou dados confidenciais (...) mas foi muito claro, e há provas que demonstram, que esses dois funcionários não seguiram as regras, por preguiça ou para o trabalho ser mais fácil”, sustentou.

 

Kuok Cheong U também adiantou, nesta conferência de imprensa, ter já redigido cartas, em chinês e inglês, para todos os pacientes que tiveram os dados pessoais expostos numa rua de Macau. O director do hospital ordenou ontem o seu envio.