Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Coutinho considera aumento de 2,53 por cento “irrisório”
Terça, 17/11/2015

O aumento de 2,53 por cento nas remunerações dos trabalhadores da função pública anunciado para Janeiro pelo Chefe do Executivo é classificado pelo deputado Pereira Coutinho como “irrisório”.

 

De acordo com o também presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau, a actualização de dois pontos do índice da tabela salarial para 81 patacas fica aquém do esperado: “O aumento de dois pontos é minimalista, porque se levar em consideração 110 pontos da tabela indiciária da função pública, isto equivale a 220 patacas. Ora 220 patacas não chegam para comprar uma lata de leite. É realmente irrisório”.

 

Na reacção às Linhas de Acção Governativa apresentadas esta tarde por Chui Sai On, Coutinho afirmou aos jornalistas que pouco existe além da mera distribuição de dinheiro: “Como já se antevia, foi a continuidade da distribuição de subsídios e nada mais, porque não se levou em consideração como elevar a capacidade governativa. É a questão principal. Nada se consegue se não tivermos capacidade e qualidade de prestação de serviços”.

 

De resto, Coutinho criticou ainda a ausência no discurso de Chui Sai On da responsabilização dos titulares dos principais cargos. O deputado observou, todavia, que a situação é diferente quando estão em causa trabalhadores da linha da frente: “Em termos de função pública, estamos muito desapontados com o despedimento de dois trabalhadores [da limpeza] dos Serviços de Saúde, quando ainda recentemente o Comissariado de Auditoria referiu que houve uma falha grave na fiscalização dos subsídios às escolas. Ninguém foi responsabilizado, ninguém teve que assumir as responsabilidades”.