Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (segunda-feira)
Segunda, 16/11/2015

Os atentados de Paris dominam as primeiras páginas da imprensa local e também dos jornais de Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca hoje os atentados terroristas em Paris. O jornal explica que foram detidas 11 pessoas pelas autoridades policiais de França, Bélgica e Alemanha.

 

O Va Kio dá conta de um caso de pesca ilegal em Macau por dois homens da China Continental. Noutro texto, a situação em Paris: o diário explica que os estudantes de Macau em França estão em segurança.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado a prestar atenção à situação em Paris. Nos temas locais, o pedido de Ng Kuok Cheong, que continua preocupado com a situação da concessão de terrenos.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve na manchete “LAG 2016 ao ritmo da economia”. No destaque com imagem, a entrevista à subdirectora da Faculdade de gestão de Empresas da Universidade de Macau – Rose Lai diz que “Oferta de casas para alugar vai descer muito” com novo regime.

 

“Paris não arderá”, lê-se no Hoje Macau, que ilustra a capa com a imagem de uma mulher a chorar. Noutra chamada à capa, as salas VIP, com o título “A exigência de ser”.

 

Quanto ao Ponto Final, dedica toda a primeira página aos ataques de Paris, com uma só mensagem: “Não tememos”. O “a” é substituído por uma Torre Eiffel.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily traz na manchete os ataques de Paris, com a alusão à escuridão que se abateu sobre “a cidade das luzes”. Noutro destaque, a confirmação oficial da nomeação de Paulo Martins Chan para liderar a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos.

 

Quanto ao Macau Daily Times, escreve nas gordas que “França chora depois de noite de terror, 129 mortos”. Na actualidade local, referência para o projecto de urbanismo para a zona sul da Ilha da Montanha.

 

Já o Macau Post Daily refere que o Governo emite aviso de viagem depois de ataques de Paris. O resto da página é também dedicado aos acontecimentos sangrentos da passada sexta-feira, com a notícia de que foi emitido um mandado internacional para se tentar encontrar um dos três irmãos ligados aos ataques terroristas.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily estão as declarações de Xi Jinping, que pede união global para combater o terrorismo. O jornal publica ainda várias imagens sobre as cidades do mundo que, através da iluminação dos seus principais monumentos, mostraram solidariedade para com a situação de Paris.

 

O South China Morning Post dá destaque ao facto de o terrorismo ser o principal tópico da agenda da cimeira do G20. Na actualidade de Hong Kong, o número recorde de queixas contra médicos locais, registadas sobretudo durante os dias em que esteve na rua o movimento Occupy.

 

No Standard, lê-se “A dor de Paris”. O jornal publica quatro págians sobre o assunto e faz referência à vigília que hoje acontece ao final da tarde em Tamar, em Hong Kong.