Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Deputados defendem modelo da Uber
Quinta, 12/11/2015

Os problemas no serviço de táxis e a entrada da Uber em Macau estiveram em destaque, esta tarde, na Assembleia Legislativa. Dois deputados defenderam que o modelo da empresa norte-americana é o mais indicado para modernizar o sistema de transporte de passageiros.

 

“Recentemente, a aplicação Uber para a chamada de transporte gerou conflitos na interpretação da lei, mas a maioria da população apoia este modelo. A comunidade até quer que o Governo legalize este tipo de serviço e inclua-o na regulação das licenças especiais de táxis, introduzindo maior competitividade no mercado e opções de deslocação, a fim de promover a reforma do serviço de táxis”, apontou Ella Lei, numa intervenção antes da ordem do dia.

 

O director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego admitiu, ontem, a possibilidade de novas tecnologias como a Uber passarem a ser regulamentadas no futuro. No entanto, Lam Hin San insistiu no facto de a empresa estar a operar de forma ilegal.

 

Chui Sai Peng lembrou isso mesmo, apesar de defender que o modelo da Uber é o mais indicado para a necessária modernização que o sector do transporte de passageiros precisa.

 

“Temos de admitir que o actual serviço de táxis tem margem para melhorar e o surgimento das aplicações para chamar táxis resulta da procura real no mercado. No entanto, uma vez que vivemos numa sociedade de direito, racional e civilizada, temos de ser sensatos e evitar meter todos no mesmo saco. Não podemos atacar todos os proprietários de veículos e motoristas porque alguns destes têm consciência profissional. O sector também não pode fechar-se sobre si, fugindo às aplicações tecnológicas e à modernização”, notou Chui Sai Peng.

 

O deputado quer que o Governo realize um estudo sobre novas formas na chamada de táxis. Além disso, defende que a fiscalização ao sector deve aumentar.