Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Nova associação de Au e Ng elege habitação como prioridade
Segunda, 09/11/2015

A construção de mais habitação pública deve ser a prioridade das próximas Linhas de Acção Governativa, defende a “Iniciativa para o Desenvolvimento Comunitário de Macau”, associação criada em Setembro e que tem entre os membros os deputados Au Kam San e Ng Kuok Cheong, fundadores da Associação Novo Macau.

 

Num comunicado, a organização liderada por Tong Ka Io, que também tem ligações à Novo Macau, exorta Chui Sai On a cumprir o que prometeu em 2010.

 

A “Iniciativa para o Desenvolvimento Comunitário de Macau” considera que a habitação é o principal problema vivido no território e que afecta, sobretudo, a classe média e as classes mais desfavorecidas.

 

Apesar de não ser uma questão nova, a associação lamenta que o Governo não tenha ainda actuado para satisfazer as exigências da população.

 

Um exemplo apontadi do falhanço das políticas é o facto de o plano de construir 19 mil habitações até 2012 ainda não se ter concretizado. Até agora, dizem, falta construir 11 por cento das prometidas fracções.

 

Entretanto, já este ano, foi lançado o concurso de 1900 novas fracções, tendo participado mais de 40 mil pessoas. A “Iniciativa para o Desenvolvimento Comunitário” defende que o método usado, um sorteio, “não respondeu eficazmente à procura” e tornou-se mesmo “num jogo que engana os residentes”.

 

Na questão da habitação, lê-se no comunicado, há um “grave desequilíbrio entre a oferta e a procura”, um “grave atraso na construção e no processo de oferta” e, recorrendo-se às lotarias, há apenas “pessoas com sorte e outras com azar”, mas “não há fila de espera ou prazo”.

 

Todavia, os problemas não ficam por aí: a associação entende que a “qualidade da habitação pública é preocupante” e critica ainda as localizações afastadas das zonas urbanas, mal servidas por autocarros ou com “insuficientes” instalações sociais.

 

Por tudo isto, a Iniciativa para o Desenvolvimento Comunitário recomenda que, antes de anunciar as políticas para 2016, Chui Sai On leia as Linhas de Acção Governativa de 2010, quando elegeu como prioridade a “melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e a promoção de uma sociedade harmoniosa”.