Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (quarta-feira)
Quarta, 04/11/2015

O caso de Lai Man Wa está em foco nos jornais de hoje, que trazem também na capa o acordo entre Macau e o Reino Unido que vai permitir a devolução ao território de bens ilícitos do antigo secretário Ao Man Long. Na imprensa de Hong Kong, olhos postos no desentendimento naval entre a China e os Estados Unidos.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun dá destaque às afirmações das autoridades de Macau, que garantem que não têm nada a esconder no caso de Lai Man Wa e sublinham que não há provas que apontem que não se tratou de um suicídio. Referência ainda na capa para a assinatura do acordo entre o Reino Unido e Macau que vai permitir à RAEM reaver bens ilícitos de Ao Man Long no valor de 350 milhões de patacas.

 

O Va Kio também escreve na manchete que o Governo assegura estar a dizer a verdade no caso da directora-geral dos Serviços de Alfândega. O jornal conta também que a Comissão para a Construção do Centro Mundial de Turismo e Lazer teve a primeira reunião plenária – ficou decidido que vai ser elaborado um plano de desenvolvimento para os próximos cinco anos.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a dar conta das declarações do presidente do Instituto Cultural acerca da protecção do património – Guilherme Ung Vai Meng foi o convidado desta manhã do programa de debate da emissora.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve na manchete que “Mercado de massas já pesa 60 por cento nas contas da Sands China”. Noutro título, “Reino Unido restitui 350 milhões fruto de bens ilícitos de Ao Man Long” e, no destaque fotográfico, “Sinais de impaciência no ‘acampamento’”, a propósito dos pais de “filhos maiores” que ameaçam “invadir” sede do Governo.

 

“Um campus malparado”, lê-se no Hoje Macau, acerca das novas instalações da Universidade de São José, cuja obra está interrompida. Em grande plano, a Uber, com o título “A guerra das rodas”. Nota ainda para Lai Man Wa: “Diário de um suicídio”.

 

Quanto ao Ponto Final, elege para tema principal da edição o caso Ng Lap Seng, com o título “Corta e cola”. Noutros títulos na capa, “Associação de Advogados quer reatar protocolo com Portugal” e “Nove artistas candidataram-se ao Prémio Fundação Oriente para as Artes”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily conta que há bens ilícitos de Ao Man Long que vão ser devolvidos ao território. Em foco também os resultados da Galaxy e a Uber, que insiste que o modo como opera é legítimo.

 

O Macau Daily Times também traz na manchete a devolução de 350 milhões de patacas pelo Reino Unido à RAEM. Noutro destaque, as declarações de Wong Sio Chak, que desmente rumores e afirma que a investigação aponta para o suicídio da directora-geral dos Serviços de Alfândega.

 

O Macau Post Daily escolhe igualmente para assunto principal o acordo entre o Reino Unido e Macau que vai permitir ao território obter bens ilícitos de Ao Man Long. O matutino ocupa o resto da primeira página com o livro publicado por Donald Trump.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily está o aviso deixado por Pequim ao almirante norte-americano Harry Harris: “Parem com a ameaça naval”. Em foco também as declarações de Xi Jinping acerca da economia chinesa: a meta é o crescimento estável, de não menos de 6,5 por cento, do Produto Interno Bruto.

 

“Espaço para Hong Kong na iniciativa ‘Uma faixa, uma rota’”, lê-se nas gordas do South China Morning Post. O jornal reserva espaço também para a China e os Estados Unidos, que mantêm contacto apesar da tensão em torno do Mar do Sul da China.

 

Por último, o Standard, que tem como notícia principal da edição de hoje a queda significativa das vendas a retalho registada em Hong Kong: em Setembro, registou-se uma diminuição de 6,4 por cento, a maior descida em oito meses.