Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Coutinho pede aumentos de seis por cento a Sónia Chan
Sexta, 23/10/2015

Pereira Coutinho quer que os funcionários públicos sejam aumentados em seis por cento e que o subsídio de residência seja ajustado para 50 pontos. Os dois pedidos fazem parte de um conjunto de reivindicações enviado a Sónia Chan, secretária para a Administração e Justiça.

 

Entre as medidas que deputado e presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública gostaria de ver Sonia Chan anunciar quando a secretária apresentar as Linhas de Acção Governativa contam-se, ainda, planos para proporcionar mais habitação.

 

Pereira Coutinho diz que “a equipa de funcionários públicos” é o recurso mais importante do Governo” e, por isso, não devem ser “explorados no bem-estar” em nome da “austeridade”.

 

Apesar da queda do jogo ter levado a um “período de adaptação”, Coutinho sugere a criação de um subsídio especial de 70 pontos e o ajuste da pensão de sobrevivência de 50 por cento para 80 por cento.

 

Na extensa lista de reivindicações, Coutinho propõe também “uniformizar o regime de aposentação, o regime de pensão de sobrevivência e o regime de previdência entre todos os funcionários públicos e os do poder judicial”.

 

Para os aposentados que recebem por Portugal, Coutinho pede ainda que se volte a atribuir o subsídio de residência.

 

Quanto à habitação, além de “recuperar terrenos desaproveitados para construção de casas para funcionários públicos”, Coutinho quer também que fracções residenciais usadas como escritórios ou salas de armazenamento sejam recuperadas para servirem de habitações.

 

Outros pedidos passam ainda pela revisão da Lei de Carreiras “para evitar trabalhadores a exercer funções  fora do âmbito do seu cargo”, ou a alteração do limite de 300 horas extraordinárias dos motoristas da função pública para o dobro.