Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (segunda-feira)
Segunda, 19/10/2015

Protestos contra a política de habitação pública e a reunião entre Lionel Leong e representantes da Wynn Resorts marcam as primeiras páginas da imprensa publicada hoje em Macau.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O grande tema da edição de hoje do Ou Mun é a denúncia de que instrutores de condução de motas de várias escolas do território não têm licença para ensinar. Esta é uma matéria que cobre a quase totalidade da primeira página do jornal, que destaca, assim, um problema de segurança nas estradas de Macau.

 

O Va Kio tem duas notícias a dividir atenções.

 

Em primeiro plano, o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, afirma que a licenciatura em Ciências de Técnicas Bio-Médicas, Variante em Técnicas Farmacêuticas, do Instituto Politécnico de Macau, não é suficiente para conferir o estatuto de farmacêutico, pelo que o responsável aconselha os alunos a prosseguirem estudos noutras instituições.

 

Depois, o jornal destaca a reunião do secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, com representantes da Wynn Macau, após as duras críticas de Steve Wynn à acção do Governo. Leong insiste que o Executivo vai manter as restrições ao crescimento do número de mesas de jogo.

 

Canal da Rádio Macau em língua chinesa

 

Uma notícia da actualidade local em destaque na Ou Mun Tin Toi: entrevistado no programa da manhã “Fórum Macau”, o subdirector dos Serviços de Saúde, Chang Seng Ip,lembrou um plano de 2011 que passa pela construção, até 2020, de 11 centros de saúde e dois postos de saúde no território.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau destaca o protesto de ontem contra o sorteio de habitação económica. O jornal escreve que, “segundo a organização, foram cerca de 1500 os que saíram ontem à rua para reivindicar mais habitação económica e o regresso ao antigo regime de selecção de candidatos. Rejeitam o sistema de sorteio que apenas ‘trouxe a sorte’ a 1900 famílias. Outras 40 mil pessoas continuam à espera. Até quando?”

 

O jornal destaca, ainda, uma entrevista com Lei Cheok Kuan, membro da União Geral das Associações de Moradores. Pede “mais turismo e outra ajuda para as PME”.

 

No Ponto Final, “centenas marcharam contra a lei da habitação económica”, lê-se na manchete: “Cartazes coloridos e o som estridente de centenas de apitos encheram ontem algumas das ruas do centro de Macau, num protesto que reclamou por mudanças na atribuição de fracções económicas. Ng Kuok Cheong, deputado e um dos organizadores da manifestação, já submeteu uma proposta de debate sobre o tema à Assembleia Legislativa. O pró democrata deixou no ar uma promessa: se o Governo não atender às reivindicações dos cidadãos, mais protestos se seguirão.”

 

O jornal destaca, ainda, que “o Governo vai manter as limitações que impõe ao crescimento do sector do jogo”, numa referência à reunião entre o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, e representantes da Wynn Resorts.

 

“Wynn ‘parte a louça’ e Lionel Leong dá-lhe ‘puxão de orelhas’”, escreve o Jornal Tribuna de Macau na manchete. Nesta primeira página, surgem em grande destaque mais dois temas: “as desilusões de quem quer uma casa pública” e uma entrevista com Fong Seng Wa, vice-presidente da Associação de Mediadores de Jogos, que diz que os “cheques pecuniários têm sido ‘pagos’ pelos junkets”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily chama para título principal o encontro deste domingo entre Lionel Leong e representantes da Wynn Resorts, depois das críticas de Steve Wynn à política do Governo de Macau para o sector do jogo.

 

Outro tema em foco nesta primeira página são as contas públicas. O diário informa que “o Governo apenas usou 58 por cento do dinheiro que era suposto ter gasto”, de acordo com os dados apurados ate Setembro.

 

O Macau Post Daily Independent destaca a manifestação realizada ontem. “Protestos exigem 40 mil unidades de habitação pública até ao final de 2019”.

 

Outro tema em foco na primeira: “Liberais do Canadá destacados em sondagem antes de votação”.

 

No Macau Daily Times, o protesto deste domingo domina a primeira página. O jornal escreve que os manifestantes não concordam com o argumento de que não existem terrenos para construir habitação económica.

 

Outro título: “Steve Wynn insurge-se contra regulações ‘absurdas’”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post foca a visita oficial de Xi Jinping a Inglaterra e uma mensagem do presidente que o jornal destaca na manchete: “Não politizemos os negócios”.

 

A outra notícia a merecer grande destaque na primeira página diz ainda respeito à economia chinesa: analistas convergem em defender que as “forças do mercado” devem desempenhar um maior papel, em vez das políticas estatais.

 

No jornal The Standard, a notícia principal faz-se com declarações de Norman Chan, administrador da Autoridade Monetária de Hong Kong: avisa que os empréstimos concedidos pela banca do território vizinho podem diminuir este ano devido às incertezas e à forte valorização da moeda local.

 

O China Daily, o jornal oficial chinês em língua inglesa, tem a primeira página dominada pela visita de estado de Xi Jinping ao Reino Unido. O diário destaca que Londres está “engalanada” para esta “visita histórica”, fazendo referência a “bandeiras, lanternas” e aos icónicos táxis pretos decorados com fotografias da China.

 

A propósito deste tema, o jornal informa, ainda, que são esperados vários acordos entre as duas potências, que devem “reforçar os laços” entre as duas partes.