Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Augusto Mateus: É preciso gerar emprego na cultura
Sábado, 17/10/2015

Macau tem de apostar na formação nas várias vertentes das indústrias criativas, para que possa ser criado emprego nesta área. A ideia foi deixada hoje pelo economista Augusto Mateus, antigo ministro da Economia de Portugal. “É preciso gerar emprego mais qualificado em actividades associadas ao património, à cultura, às actividades criativas, às indústrias culturais. Alargar a base turística de Macau significa fazer muito mais do ponto de vista das artes performativas”, assinalou.

 

“Macau já tem algumas actividades, mas pode fazer muito mais do ponto de vista das grandes rotas dos grandes espectáculos mundiais. Mas isso requer que se saiba fazer a sério som e iluminação. Requer a criação de capacidades cada vez mais alargadas”, apontou o professor catedrático.

 

Augusto Mateus está no território por iniciativa do Albergue da Santa Casa da Misericórdia. Esteve esta tarde num seminário a falar de indústrias criativas e de que modo podem funcionar como uma plataforma estratégica nas relações económicas entre a China, a União Europeia e os países de língua portuguesa.

 

Em entrevista à Rádio Macau, o economista deixa um alerta sobre o futuro do território, defendendo que não pode ser assente na riqueza gerada pelo jogo, sendo essencial que as pessoas “possam enriquecer como seres humanos”. “Macau não pode perder a sua identidade”, vinca. “Macau tem todas as condições para ser um espaço onde as pessoas percebem que inovar não é destruir o velho – inovar é transformar o velho em novo.”