Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

OMT: Macau precisa de associar com a China e Hong Kong
Segunda, 12/10/2015

O futuro do turismo de Macau passa pela diversificação da oferta mas também pela cooperação com as regiões vizinhas. A opinião é do secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT).

 

À margem da quarta edição do Fórum de Economia de Turismo Global, que arrancou esta manhã, Taleb Rifai considerou que Macau é um exemplo de sucesso pela forma como conseguiu um crescimento no sector do turismo como nenhum outro país.

 

Macau tem, para o responsável, como grandes desafios a diversificação da oferta turística e a associação às regiões da China e Hong Kong. Uma articulação que, diz Taleb Rifai, tem de ser cuidada. “Não se pode fazer nada sozinho. Macau não será bem-sucedida se não se associar à China e a Hong Kong”, afirma o responsável, adiantando que a nova ponte será um “um passo muito importante nessa direcção”.

 

O secretário-geral da OMT lembra que Macau pode até conseguir diversificar a oferta mas não tem muito espaço para se desenvolver.

 

Sobre o desenvolvimento do turismo multi­destinos, o responsável considera que é preciso “uma livre circulação de pessoas”, oferta que se complemente e uma “promoção conjunta”.