Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

CE defende turismo e cultura como via para desenvolvimento
Segunda, 12/10/2015

O Chefe do Executivo defendeu hoje a necessidade de combinar “turismo e cultura para trazer mais crescimento”. Fernando Chui Sai On falava na cerimónia de abertura da quarta edição do Fórum de Economia de Turismo Global, que arrancou hoje e como tema principal ‘Agarrar as oportunidades de ‘Uma Faixa, Uma Rota’.

 

“O turismo traz-nos muitos desafios e oportunidades. Temos de aproveitar essas oportunidades no sentido de desenvolver mais os nossos recursos humanos. Pensamos que, de facto, os nossos líderes e os delegados neste fórum podem identificar novas maneiras de pensar para encontrar uma cooperação regional. Esperamos que possam todos dar boas oportunidades para o desenvolvimento do turismo de Macau e também a nível internacional”, defendeu o líder do Governo.

 

Esta é a quarta vez que Macau acolhe este fórum, o que, para o governante, “mostra as vantagens de Macau a promover a cultura diversificada e as trocas internacionais”.

 

Já Edmund Ho, presidente do Fórum de Economia de Turismo Global, afirmou que espera que a cooperação e as parcerias se estendam para além da antiga Rota da Seda.

 

“Gostaríamos de ver uma colaboração mútua ao nível da integração económica para ser de construída à volta do mundo”, acrescentou Edmund Ho.

 

A edição de 2015 do fórum conta com a presença de países membros da Aliança do Pacífico – o Chile, a Colômbia, o México e o Perú.

 

Na cerimónia desta manhã, o secretário-geral da Organização Mundial do Turismo argumentou que a cooperação é importante para o desenvolvimento do turismo. Taleb Rifai defendeu ainda o turismo cultural: promove “o desenvolvimento económico”,  o “desenvolvimento social” e contribui para a “preservar do ambiente”.  

 

Do lado da China, Ji Jinzao, presidente da Administração Nacional do Turismo, falou de uma “era de ouro do turismo” no país. O governante defendeu a importância de colaborações multilaterais, defendendo a simplificação dos procedimentos de investimento para as empresas.