Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Edifício de Doenças Infecciosas à espera de avaliação
Domingo, 11/10/2015

O projecto do Edifício de Doenças Infecciosas de Saúde Pública, junto ao Centro Hospitalar Conde de São Januário, vai ter que esperar pela avaliação do Instituto Cultural sobre duas casas que teriam de ser demolidas.

 

Isso mesmo foi revelado esta tarde numa conferência de imprensa conjunta entre os Serviços de Saúde e o Instituto Cultural.

 

Os processos de avaliação do valor cultural demoram por norma um ano, mas o organismo dirigido por Guilerme Ung Vai Meng prometeu acelerar o passo e apresentar o parecer o mais breve possível, por causa do interesse público.

 

Conforme foi avançado na sexta-feira pelo director dos Serviços de Saúde, o Edifício de Doenças Infecciosas deve estar concluído em 2018.

 

Em 2004, a obra foi lançada com uma altura de 100 metros, valor que, entretanto, desceu para 60 metros porque ultrapassava as cotas altimétricas previstas em legislação de 2008.

 

O projecto teve de ser submetido a uma nova concepção, que passa pelo aproveitamento do espaço onde se encontram duas casas, uma servindo de armazém de apoio ao hospital e outra acolhendo o Serviço de Reabilitação da Toxicodependência, e que poderão ter valor cultural. 

 

Ainda nesta conferência de imprensa, Lei Chin Ion afirmou que os Serviços de Saúde já passaram todo o trabalho relativo aos dois principais edifícios do hospital das ilhas para as mãos do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas (GDI).

 

Isso mesmo tinha, de resto sido, avançado à Rádio Macau pelo GDI, que terá agora a tarefa de abrir os concursos públicos das empreitadas.