Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Governo de Macau sem informações sobre centro da ONU
Quarta, 07/10/2015

O Gabinete do Chefe do Executivo diz que “o Governo não dispõe de informação alguma” sobre a intenção do empresário Ng Lap Seng construir em Macau um centro de conferências das Nações Unidas.

 

Numa breve declaração escrita em resposta a uma questão da TDM, o Gabinete do Chefe do Executivo diz que “tendo em consideração que o assunto é objecto de procedimento judicial, o Governo não tece comentários”.

 

É um caso que marca a actualidade, em Macau e não só. A detenção do empresário Ng Lap Seng e do assistente em Nova Iorque está relacionada com um alegado esquema de corrupção no seio das Nações Unidas.

 

As autoridades americanas anunciaram esta terça-feira a detenção e a acusação de quatro pessoas, incluindo o ex-presidente da Assembleia Geral das ONU, John Ashe, num caso que envolverá subornos no valor de mais de um milhão de dólares.

 

Relacionado com este processo está um projecto de Ng Lap Seng construir um centro de conferências em Macau patrocinado pela ONU.

 

Documentos agora revelados mostram que John Ashe aceitou mais de meio milhão em subornos para promover o projecto na Secretaria Geral das Nações Unidas.

 

Segundo a queixa-crime das autoridades norte-americanas, a ideia de construir o centro em Macau circulou em documentos oficiais das Nações Unidos desde 2012.

 

Numa conferência do Escritório das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul realizada em Macau, em Agosto, “vários enviados falaram na necessidade de construir em Macau o centro” proposto por Ng Lap Seng, de acordo com o New York Times.

 

O diário norte-americano refere mesmo que o Escritório das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul haveria inclusivamente de divulgar um comunicado de imprensa a apoiar a ideia, referindo que “os participantes no fórum apelaram à criação de um centro permanente através de uma parceria público-privada”.

 

Além do Governo de Macau, quem também diz nada saber sobre o centro de conferências das Nações Unidas proposto por Ng Lap Seng é William Kuan Vai Lam, empresário do imobiliário com ligações ao magnata detido nos Estados Unidos.

 

Em declarações aos jornalistas, esta quarta-feira, William Kuan Vai Lam garantiu: “Nunca ouvi nada relacionado com a construção de um centro de conferências, nem nada relacionado com as Nações Unidas e a construção de um centro desse género. Não vejo problema em que a ONU tenha um centro desses em Macau. A questão é se Macau tem terrenos para um projecto assim e se somos qualificados para termos este centro, mas não ouvi nada sobre o desenvolvimento deste projecto”.

 

Sobre o projecto no centro de um escândalo de corrupção com ligações internacionais, o assistente de Ng Lap Seng confirmou os planos do patrão.

 

Jeff Yin, que também está detido em Nova Iorque, juntamente com o empresário de Macau, terá dito à justiça norte-americana que Ng Lap Seng olhava para o centro de conferências como o seu legado e, ainda, que fez pagamentos nesse sentido.