Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Eleições/Portugal: Lisboa só recebeu 115 votos da China
Quarta, 30/09/2015

A Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (MAI) de Portugal avança à Rádio Macau que, até ontem, chegaram a Lisboa 115 votos de eleitores residentes em Macau, Hong Kong, Pequim e Xangai. No entanto, são esperadas “mais cartas”, nos próximos dias.

 

A recepção dos boletins prolonga-se até meados do próximo mês. A única regra é que o envio dos boletins não pode passar o dia 4 de Outubro – data das eleições legislativas de Portugal.

 

Sónia Tavares, chefe da Divisão Jurídica e de Estudos Eleitorais do MAI, adianta que, só ontem, foram recebidos 97 boletins de Macau. Por cá, os Correios dizem que não conseguem contabilizar o número de cartas que já foram enviadas para Lisboa, mas garantem que deram entrada “cerca de sete mil boletins”. Destes, 52 por cento foram levantados, ou seja, 3640.

 

Quem está elegível para votar, mas não recebeu qualquer carta, pode deslocar-se a sete locais: Central dos Correios, no Largo do Senado, e às estações da Almirante Lacerda, do Carmo, dos Jardins do Oceano, da Nova Taipa, de Seac Pai Van e da Rua da Cordoaria (Coloane).

 

As eleições legislativas portuguesas têm sido marcadas por alguns problemas no círculo fora da Europa. Hoje, o Jornal Tribuna de Macau (JTM) noticiou também que metade dos eleitores recenseados no território não pode votar. Em causa está um artigo do regime jurídico do recenseamento eleitoral português de 1999.

 

Actualmente, o Consulado Geral de Portugal em Macau e Hong Kong conta 15.944 recenseados. No entanto, admitiu ao JTM que milhares possam ter sido excluídos das listas finais do Ministério da Administração Interna de Portugal, que só contabilizou 8.223 eleitores para as eleições do dia 4 de Outubro.