Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Rio das Pérolas “gravemente poluído”, alertam investigadores
Quarta, 05/10/2011
O excesso de descargas de águas contaminadas no Delta do Rio das Pérolas “poluiu gravemente” a fauna marítima, sobretudo peixes e mariscos, alertam investigadores da Academia Chinesa de Ciências.

Em declarações ao Yangcheng Evening News, Zhang Gan, investigador do Instituto de Geoquímica de Guangzhou, da Academia Chinesa de Ciências, afirma que “os níveis de cobre e zinco nas zonas de pesca perto de Macau, Zhuhai e Shenzhen são muito mais elevados do que noutras águas domésticas”.

De acordo com a mesma fonte, “a acumulação de metais pesados está estreitamente ligada ao alto nível de industrialização e urbanização”, sendo que os potenciais riscos ecológicos são mais elevados em Macau, seguindo-se Shenzeh e Zhuhai, acrescentou Zhang.

Outro investigador da Academia Chinesa de Ciências, Huang Xiaoping, revelou que o teor de chumbo nos peixes recolhidos nas águas de Macau, Zhuhai e Shenzhen apresenta níveis 53 vezes superiores ao normal, enquanto que as ostras revelam níveis de chumbo 640 vezes superiores aos padrões normais.

Os especialistas alertam que o consumo de marisco contaminado é perigoso para a saúde, podendo originar cancros e outros males.

O jornal Yangcheng Evening News refere ainda que a poluição está a causar efeitos na actividade piscatória, com os pescadores a queixarem-se de que o peixe que recolhem é preterido por donos de restaurantes devido “ao mau cheiro”. Em 2010, um relatório divulgado em Guangdong afirmava que mais de um milhão de toneladas de poluição tinham sido largadas na foz do Rio das Pérolas.

No Relatório do Estado do Ambiente em 2008 e 2009, divulgado em Macau no passado mês de Maio, pode ler-se que a água nas zonas costeiras de Macau apresentou níveis de poluição nos últimos anos.

De acordo com o documento, a monitorização dos Serviços de Protecção Ambiental (DSP) revela que a água mostrou-se poluída em todos os pontos de amostragem, tendo o nível mais elevado de poluição sido registado junto ao Porto Interior, onde a água não atinge a Norma de Qualidade das Águas Marítimas da China.

O relatório indica que, em 2009, houve um aumento significativo do índice de poluição por metais pesados, com grande concentração de zinco e mercúrio.