Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Edifício do antigo Hotel Estoril “muito perto da ruína”
Terça, 15/09/2015

Zona de saunas destruídas, quartos de hotel onde só repousa lixo e plantas a trepar paredes. Este é o cenário no antigo Hotel Estoril, que foi visitado pela imprensa local, esta tarde, a convite do Governo.

 

“A olho nu, relativamente ao edifício mais antigo e se tomarem atenção à estrutura principal, eu diria que está muito perto da ruína. Mas é necessário ter dados científicos, que sejam apresentados para as pessoas avaliar. Não posso dar mais do que esta opinião”, considerou o engenheiro João Manuel Costa Antunes, escolhido pelo secretário Alexis Tam para acompanhar a visita.

 

O Laboratório de Engenharia Civil de Macau já está a analisar a estrutura do antigo edifício. No entanto, Costa Antunes não tem dúvidas de que a remodelação do espaço vai ser mais cara e mais lenta.

 

“Não tenho dúvidas de que será muito mais caro remodelar. Por várias razões, não só sobre o aspecto estrutural. Diria que para reforçar isto tudo, iríamos substituir as estruturas. Seria uma construção muito mais lenta. Não sei se vale a pena o investimento. Em segundo lugar, estamos muito condicionados com o pé direito do edifício. Se quisermos construir espaços com padrões musicais, estamos muito condicionados”, disse Costa Antunes.

 

Caso avance a ideia de um novo projecto construído de raiz, o plano integra pisos com estacionamento e um espaço multiúsos, sem barreiras arquitectónicas. Quanto à piscina vai ter cobertura, água quente e será instalada no topo do edifício.

 

“Penso que vai ser um espaço multiúsos. Não digo para desporto ou cultura. Digo um espaço multiúsos que pode ser utilizado para os dois”, notou o presidente do Instituto do Desporto, José Tavares, que também marcou presença na visita.

 

Apesar de não estar tomada qualquer decisão definitiva, a posição do Governo parece clara: o antigo Hotel Estoril é para demolir e, nos mais de 6.600 metros quadrados de área, deve nascer um novo complexo, com a assinatura do arquitecto Siza Vieira.