Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de Imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 08/09/2015

Casos de polícia, investigações a partir de dados pessoais, o regresso às aulas e as incógnitas em torno da morte de um residente de Macau na Coreia do Norte são alguns dos destaques da imprensa local.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca a primeira empresa que vai ser instalada no Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa: Guangzhou Pharmaceutical Holdings Limited. Ainda sobre este tema, o jornal escreve que o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, garantiu que vai ajudar as empresas locais a desenvolver as relações comerciais com os países lusófonos.

 

No Va Kio, a primeira página é feita com dois casos de polícia. Um homem do Continente foi detido por usar dinheiro falso num casino do Cotai. O diário faz ainda eco da detenção de dois funcionários de sala de VIP, suspeitos de envolvimento num caso de burla com fichas de jogo, que tinham um valor de cinco milhões de dólares de Hong Kong.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

O canal chinês da Rádio Macau tem centrado atenções na conclusão das obras do Reservatório Central, que vai satisfazer a necessidade de abastecimento de água nos próximos cinco anos. A manhã informativa tem ainda como destaques a investigação da PJ a um caso de homicídio no Edf. Fu I, junto ao Jardim de Luís de Camões, e as Contas Individuais de Previdência que tiveram um rendimento de 0,18 por cento, este ano.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau ilustra o destaque do dia com o título “silêncio de norte”. De acordo com o jornal, são muitas as incógnitas à volta de um jovem que trabalhava para a Sociedade de Jogos de Macau, num casino da Coreia do Norte. “Cerca de um mês e meio depois, a família continua sem saber os resultados da autópsia ou conseguir fazer o funeral.

 

O Jornal Tribuna de Macau coloca em grande plano o IPM que “quer liderar formação de docentes de língua portuguesa”. “Os choros e as alegrias do primeiro dia de aulas” estão também na primeira página.

 

O Ponto Final escreve que “os dados estão lançados”, numa referência ao Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais que autorizou a Direcção dos Serviços de Identificação a partilhar informações de titulares de órgãos associativos com a Polícia Judiciária. No jornal está ainda uma entrevista ao jornalista Hugo Pinto, autor do documentário “A Última Religião”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily parte dos “holofotes sobre o turismo” para dar espaço à opinião de um deputado de Hong Kong. Yu Si-wing diz que Macau, além dos casinos, pouco tem para oferecer. O jornal financeiro nota ainda que está quase tudo pronto para a assinatura do novo contrato de concessão entre o Governo e a TCM.

 

O Macau Daily Times publica as mais recentes informações sobre o Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais, que aumentou em 37,6 por cento os processos de investigação. No destaque fotográfico está uma ilha grega “cheia de migrantes” desesperados.

 

O Macau Post Daily dá destaque às declarações da presidente do Instituto de Formação Turística. Fanny Vong pede mais cooperação entre Macau, Hong Kong e Zhuhai para reforçar o sector das convenções e exposições.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily faz manchete com as “grandes expectativas” à volta da visita de Xi Jinping aos Estados Unidos, no final deste mês. O embaixador chinês Cui Tiankai que os interesses comuns de Pequim e Washington “ultrapassam claramente” as diferenças. No destaque fotográfico, o diário oficial coloca os protestos de agricultores, ontem, em Bruxelas, contra os baixos custos de produção, por exemplo, do leite.

 

O South China Morning Post titula que Pequim prepara novas medidas para controlar as flutuações nos mercados bolsistas. O jornal tem ainda como principal tema a união entre Reino Unido, França e Alemanha para combater a crise dos refugiados na Europa.

 

O Standard nota que o turismo para Banguecoque está de volta. Pelo menos duas agências de Hong Kong vão retomar a venda de pacotes de viagens para a Tailândia no final desta semana, depois do atentado de 17 de Agosto.